Assinar Newsletter

Receba novidades, artigos e dicas especiais.

Burnout no trabalho como freelancer: como evitar?

Você está correndo a toda velocidade, dizendo “sim” para novos clientes e fazendo o trabalho que precisa para ser feito e então, BOOM!

 

Ele bate em você, o Burnout do Freelancer, que deve ser um termo cunhado neste momento. É uma situação muito familiar que todos nós esperamos em certos momentos de nossa carreira como freelancer.

 

O trabalho começa a se acumular, as horas começam a se alongar, os hobbies e o tempo livre tornam-se inexistentes e você simplesmente sente que o trabalho assumiu completamente a sua vida. As perguntas então se tornam “O que eu fiz de errado?” e “Como posso consertar isso?”.

 

Como freelancers, estamos sempre apressados, por isso, não há nada de errado em dizer sim, mas é preciso dar alguns passos antes de mergulhar em novos trabalhos ou novos projetos para evitar um provável esgotamento.

 

Por este motivo, abaixo estão algumas perguntas que todos nós devemos considerar nos perguntar vez ou outra:

 

Você tem tempo para um novo cliente ou projeto?

 

A primeira pergunta deve ser sempre: você tem tempo? Se você não fizer isso, então não vale a pena o estresse adicional. Agora, se lhe for oferecida uma posição que pode ser mais benéfica ou que vale mais a pena do que a atual, então você pode querer considerar mudar os clientes ou aceitar um deles e, infelizmente, parar o trabalho com outro.

 

Isso não precisa ser uma pergunta do tipo tamanho único, porque cada freelancer é diferente. Mas, em um nível básico, saber quanto tempo de compromisso você pode abraçar sem sacrificar seu próprio sustento deve ser sempre a melhor primeira pergunta a se fazer.

 

Independente se você pode ou não assumir um novo cliente ou precisa deixar outro ir, será necessário lidar com isso.

 

Somado a isso, você nunca deve se sentir culpado por deixar um cliente que está apenas adicionando estresse e trabalho à sua vida ou ter que recusar um cliente em potencial. Como seres humanos, todos nós tendemos a perguntar “E se” sempre que dissermos não ou adeus a alguém, mas você precisa resolver isso e dizer a si mesmo que tinha que terminar ou nunca começar por uma razão.

 

Você tem banda mental para um novo projeto?

 

Além de apenas o próprio tempo, é preciso pensar também no seu ponto de ruptura mental. Todos os freelancers são diferentes, alguns têm alta energia, outros baixa energia – e isso entra em jogo evitando o esgotamento.

 

Tecnicamente, pode-se argumentar que cada pessoa provavelmente pode lidar com pelo menos 40 horas de trabalho por semana – de acordo com a nossa ideia de trabalho em tempo integral, mas isso não significa que todo profissional tenha esse tipo de capacidade mental. Você sabe qual é o seu limite?

 

Seus outros projetos serão afetados?

 

Um burnout pode prejudicar sua mente, o que pode prejudicar seu trabalho. Pode parecer ótimo estar sempre progredindo, mas apenas até que você não esteja mais dando 100% em seus projetos. Estar dividido em muitas direções significa que, em um certo ponto, sua qualidade começará a sofrer.

 

Normalmente, você pode ser capaz de lidar com uma média de quatro clientes com facilidade. Aceitar mais dois ou três, porém, pode fazer com que você dê apenas 50% a cada cliente e, por mais que tente mascarar, seus clientes perceberão quando seu trabalho começar a sofrer.

 

Se você acha que há um risco de isso acontecer, pode ser uma boa ideia reavaliar o quanto você precisa desse novo cliente ou as maneiras de ajustá-lo à sua agenda. Talvez você precise liberar um cliente existente que não se sente mais em condições de atender e  preencher o espaço deixado por ele com um cliente mais interessante.

 

Estas são apenas algumas perguntas iniciais que você precisa perguntar a si mesmo antes de assumir um novo cliente. Outras considerações como remuneração versus tempo, duração do contrato de trabalho e o que essa posição pode levar a tudo o que você deve considerar.

 

Ter um burnout por causa de um projeto que não lhe serve bem não vale a pena, principalmente se for colocar em risco o trabalho do seu outro cliente ou até mesmo a sua saúde. Se cuide!

 

Post originalmente publicado no blog Freelancers Union, traduzido e adaptado com autorização da autora, Sarah DeGeorge.

Autor Convidado
Autores incríveis que compartilham seu conteúdo com o Vivendo de Freela. Uma seleção feita com o coração!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desenvolvido por: