Assinar Newsletter

Receba novidades, artigos e dicas especiais.

Divulgar trabalho como freelancer – ou esperar o cliente cair do céu?

Trabalhando por conta própria, aprendi na prática uma lição bem importante: você pode ser o melhor no que faz, um profissional super competente. Mas, se não divulgar trabalho como freelancer, dificilmente vai encontrar bons clientes e conseguir realmente viver de freela, ganhando o suficiente para pagar as contas.

Em 2017, o Aparelho Elétrico fez uma pesquisa sobre o mercado freela no Brasil. Dos dados que mais me espantam, está este: 51% dos profissionais independentes recebem menos de R$ 1 mil por mês – mesmo que o desejo de 45,9% seja receber entre R$ 2,5 mil e R$ 5 mil.

Já falamos várias vezes aqui no Vivendo de Freela sobre como a precificação dos trabalhos pode mudar este jogo. Mas, no fim das contas, acho que estava faltando um post para ajudar a colocar mais freelancers em uma posição que nos ajude a ditar as regras do mercado, não só seguir o ritmo que ele parece querer impor.

Divulgar trabalho como freelancer é também uma forma de encontrar melhores clientes, expor habilidades e competências, comprovar experiência e, principalmente, ter possibilidade de escolher qual freela vai pegar ou não.

Dicas para divulgar trabalho como freelancer

 

As dicas abaixo contam um pouco do que testei nos meus últimos anos para divulgar trabalho como freelancer. Fazem parte de muita tentativa e erro para conseguir clientes de forma mais simples e também direcionada para o tipo de trabalho que prefiro fazer. Espero que sejam úteis para a sua vida de freela!

Um bom portfólio

 

O portfólio é o cartão de visitas de qualquer freelancer, é como nos mostramos para potenciais clientes e parceiros. Na vida de freela, ele é muito mais importante do que um currículo – e por isso vale estar sempre bem atualizado…

Vale lembrar que um bom portfólio não é classificado pela plataforma onde está, mas sim se está no formato ideal para que o cliente entenda porque você é um profissional que pode ajudá-lo na demanda que possui.

Por exemplo, se você é um profissional criativo, faz todo sentido ter um portfólio no Behance. Mas, se o seu potencial cliente for uma pequena empresa, será que este é o melhor formato? Provavelmente não, pois existe a chance de ele sequer saber o que é essa plataforma…

Dito isso, cabe falar que você precisa ter um bom portfólio, que precisa ser adaptado para o modelo que faz sentido dentro do mercado em que atua. Pode ser, inclusive, que você tenha mais do que um. Eu, por exemplo, tenho uma versão online e uma apresentação em PDF criada no bom e velho PowerPoint.

Algumas dicas extras para um bom portfólio:

 

  • Fale sobre sua experiência profissional antes de ser freela
  • Liste seus principais clientes e projetos como freelancer
  • Apresente amostra de trabalhos
  • Inclua resultados alcançados nos projetos
  • Deixe claro quais serviços você presta – enfatizando aquele que é seu foco

 

modelo de portfolio

Produção de conteúdo

 

Essa é uma das minhas formas preferidas para divulgar trabalho como freelancer! Produzo conteúdo aqui no Vivendo de Freela, para alguns blogs parceiros e também no meu LinkedIn.

Por que isso é tão importante?

 

  • O mundo sabe que existo…
  • …sabe que trabalho como freelancer…
  • e sabe que sou profissional de conteúdo!

 

Ou seja, falar sobre a área em que trabalha como freelancer pode ser excelente para que potenciais clientes encontrem você e ainda tenham uma boa amostra sobre sua experiência.

Mas, se você não gosta ou não se sente seguro em escrever, fique tranquilo. Seu conteúdo pode ser realizado em diferentes formatos (podcasts, vídeos, infográficos, palestras…).

E não se preocupe também em gastar muitas horas com isso. Pode ser que um único conteúdo já garanta boas oportunidades a você. Foi o que aconteceu comigo quando publiquei um artigo sobre o conteúdo ter virado commodity.

 

A boa e velha indicação

 

A pesquisa do Aparelho Elétrico mostra que 59% dos freelas captam clientes via indicação. E de onde surgem essas indicações? Amigos, familiares, ex-colegas de faculdade e de trabalho…

Mas vale lembrar: as indicações só surgem quando as pessoas de sua rede de contato de fato sabem que você faz freela. E aí eu pergunto: seu LinkedIn e Facebook têm essa informação no campo sobre o que você faz? Já fez algum post falando para todo mundo que está trabalhando de forma independente?

Fica a dica de salvar a imagem abaixo e postar nas suas redes sociais! Ou, ainda melhor, criar a sua própria em um post com a sua cara.

 

Faço freela

Sites e plataformas

 

Já falamos em outros posts aqui do Vivendo de Freela sobre quando vale a pena trabalhar com sites de freelas e também que você não precisa depender delas para conseguir seus clientes.

Vale a pena ler os textos completos para pensar se faz sentido para você!

Resumindo minha opinião, as plataformas como Workana, 99freelas e similares podem até ser um caminho para você começar na vida de freela se ainda não tem um bom portfólio. Mas, a longo prazo, não recomendo investir neste modelo prospecção.

Primeiro, porque você tem contato limitado com seu cliente, já que na maioria das plataformas toda a comunicação acontece exclusivamente dentro do site. Em segundo lugar, porque os preços praticados ficam muito abaixo do mercado (pode acreditar!).

Se a sua decisão for trabalhar com estes sites, ficam as recomendações de focar em poucas delas e preferencialmente naquelas que possuem um posicionamento mais favorável aos freelancers.

 

Redes Sociais – do jeito certo

 

Sim, você pode ter sua própria página nas redes sociais para divulgação de seu trabalho. Conheço profissionais que fazem muito bem isso no Facebook, se posicionando como uma pequena agência ou empresa.

Alguns exemplos para você se inspirar:

 

 

Mas, se esta for uma escolha para ajudar a divulgar seu trabalho como freela, existem alguns cuidados a tomar:

 

  • Manter recorrência nas publicações
  • Escolher um público foco e criar os posts pensando neles
  • Ter qualidade de conteúdo (escrito e visual)
  • Mostrar de forma clara o tipo de trabalho que realiza

Se você tem sua própria página nas redes sociais, deixa o link aqui nos comentários do post!

Prospecção ativa

 

Essa é a forma mais trabalhosa de divulgar trabalho como freelancer, mas que também pode trazer os melhores resultados.

Prospectando ativamente seus clientes, as chances de encontrar negócios alinhados com o perfil de público que realmente deseja atender são muito maiores.

Para começar, defina qual tamanho de empresa e perfil de atuação interessam e adapte seu discurso para vender. Pense, é claro, que cada tipo de empresa vai demandar uma abordagem diferente.

Quando for falar com uma agência, por exemplo, lembre-se de que este é o tipo de negócio que contrata freelas com frequência. Manter um bom relacionamento com o responsável pela área que você atua é fundamental. Assim, quando os projetos surgirem, seu nome será lembrado.

Agora, se o foco de prospecção forem pequenas empresas, você não vai conseguir fugir de falar com o dono do negócio, em conversas que podem começar por telefone ou simplesmente batendo na porta. Neste caso, você vai estar em contato com alguém que provavelmente não entende em detalhes o que você faz, o que exige uma adaptação do discurso ainda maior.

Já desenvolvemos 2 bons posts sobre vendas aqui no blog, fica a recomendação de leitura:

[Vendas para freelancers: guia para quem não gosta de vender]

[Guia de Vendas para Freelancers]

Eventos  – para que os quero?

 

Participar de eventos do seu setor ajuda na hora de se manter competitivo como freela. Afinal, você precisa continuar atualizado sobre as tendências e novidades na sua profissão para ser realmente visto como um especialista no que faz.

Mas, além do conteúdo, os eventos podem ser boas oportunidades para divulgar seu trabalho. Seja na conversa durante o cafezinho, seja conversando com o participante sentado ao lado.

Por mais que você não seja exatamente “o cara do networking“, vale sempre ter em mãos seus cartões de visitas.

Além disso, se você for um profissional ativo no seu meio, existem chances inclusive de participar palestrando ou facilitando discussões em eventos – principalmente se produzir conteúdo!

 

Fazer um ótimo trabalho – e esperar pelo resultado

 

A última forma de divulgar trabalho como freelancer é, na verdade, a mais importante: fazer um ótimo trabalho. Principalmente para manter os clientes conquistados e não precisar ter a prospecção como atividade principal do seu pequeno negócio.

Quando você entrega o que propôs (ou ainda mais), existem mais chances de fechar um contrato recorrente. Esses projetos fixos ajudam a deixar o fluxo de caixa sempre em dia e tiram uma pressão grande da sua rotina como freelancer.

Sem falar nas indicações que podem vir a partir disso!

 

O que ser freela significa para você?

 

No fim das contas, a diferença entre divulgar seu trabalho como freelancer de forma estruturada ou ficar esperando que as oportunidades surjam sem esforço está na importância que você dá a essa carreira.

Ser freela é uma oportunidade importante ou apenas algo transitório enquanto não arruma um emprego fixo?

Você quer realmente ser um profissional independente e reconhecido pelo seu trabalho ou tudo bem se não acontecer?

Caso esteja em dúvida se vale a pena seguir as dicas deste post, é só pensar um pouco nessas perguntas. E, por favor, não deixe de me contar depois se elas funcionaram ou não para você!

 

Quer me ajudar a profissionalizar ainda mais o mercado freelance? Compartilhe este conteúdo com quem possa se interessar, assine a newsletter para receber novos posts e deixe sua opinião aqui nos comentários! 🙂


Lembrando que estamos também no nosso canal no YouTube, com vídeos novinhos sobre a vida de freela. Assina lá para não perder nenhum conteúdo. Também marcamos presença no Facebook, Instagram e LinkedIn. Nesses canais, compartilhamos muitas dicas para ter mais sucesso como freelancer e também para aproveitar todos os benefícios da carreira independente. É claro, também respondemos dúvidas. Só deixar elas aqui nos comentários do post 😃 

Luciane Costa
Formada em jornalismo e apaixonada por conteúdo digital. Virou freelancer porque precisava de uma grana extra e acabou descobrindo que adora trabalhar assim. Gaúcha e morando em São Paulo, ela é viciada em séries de detetives e adora cozinhar.

Comentários

6 Comentários
  1. postado por
    Roberta Blasques dos Reis
    jan 3, 2018 Reply

    Muito bom Luciane!

    • Luciane Costa
      postado por
      Luciane Costa
      jan 3, 2018 Reply

      Obrigada, Roberta!

  2. postado por
    Louyse Denis
    jan 16, 2018 Reply

    Ótimo artigo! Além de orientar, ele faz com que acreditemos que pode ser possível. Trabalho como revisora de textos e redatora freelancer. Abri meu MEI há 1 ano e sei que ser uma profissional independente foi minha melhor escolha. Às vezes é difícil sim, há meses que fico no 0x0, mas há meses que me fazem acreditar que vai dar certo. Enfim, nenhum começo é fácil, o importante é não desistir.
    Minha página profissional no Facebook é essa: https://www.facebook.com/louysedenis

  3. postado por
    Robson Almeida
    fev 28, 2018 Reply

    Olá Luciane. Ótimo artigo. Tenho minha página e site também. http://www.bomconteudo.com.br e http://www.facebook.com/bomconteudomkt
    Acho que essa presença é fundamental para que possamos qualificar nosso mercado. Caso seja de seu interesse, gostaria de propor uma parceria de guest posts. Desde já, agradeço pela atenção. Abraço!

    • Luciane Costa
      postado por
      Luciane Costa
      mar 5, 2018 Reply

      Oi, Robson!! Vamos conversar, manda um email para mim aqui pela página de contato 🙂

  4. postado por
    mauro rezende
    maio 10, 2018 Reply

    aqui é o lugar certo, ufa!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desenvolvido por: