Assinar Newsletter

Receba novidades, artigos e dicas especiais.

Para quem serve – e qual a importância – da escrita criativa

O Marketing de Conteúdo abriu um enorme filão para quem quer viver de freela através da escrita. E o melhor: ele ajuda qualquer tipo de profissional – até mesmo aquele que quer escrever para o seu próprio negócio, mesmo que isso signifique falar em palavras sobre engenharia ou cosmética.

 

Mas, para quem quer ser freela disso, um foco de atenção deve ser pontuado: se tem uma coisa com a qual pouca gente ainda se preocupa, e deveria ser algo obrigatório, é com a escrita criativa. Afinal, apenas um bom texto é capaz de prender a atenção e, no caso do Marketing de Conteúdo, gerar chances reais de vendas a quem contrata os artigos.

 

E aí já te dei um spoiler: essa é a grande importância da escrita criativa: dar retorno a quem investe nela.

 

Posso falar que vivo de escrever para a internet (comecei como freela, agora tenho uma empresa) desde 2010 e, hoje, é com isso que pago minhas contas. O combo computador + imaginação me deu uma liberdade profissional enorme. E, como esse blog fala sobre viver de freela, quero tentar te ajudar a ver oportunidades nessa área também.

 

A primeira coisa que você tem que entender antes de torcer o nariz para a escrita criativa é que criatividade não é um luxo para poucos. Todos nascemos criativos, todos temos o poder de imaginar e de escrever bem. Técnicas e outras habilidades, como olhar para um papel em branco e vê-lo tomar forma em um texto, são muito bem vindas, mas é a criatividade quem vai diferenciar um texto muito legal daquele bem chatinho que, de vez em quando, a gente vê por aí.

 

E tire logo da sua cabeça a crença limitante de que só publicitário, jornalista e a Clarice Lispector são criativos. A criatividade tá aí e você só precisa treinar. Como? Fazendo coisas criativas, como o próprio escrever, desenhar, pintar, etc.

 

Somos todos criativos em muitas maneiras. Se juntarmos isso ao treinamento diário de escrita, logo estaremos prontos para mudar a internet, um texto por vez.

 

Mas eu prometi no título que ia te contar a importância da escrita criativa para a sua carreira e sua vida, então lá vai a minha lista:

 

#1 A escrita criativa honra a comunicação inovadora

 

Lembra do que o velho guerreiro Chacrinha dizia? “Quem não se comunica se trumbica”. Essa é, para mim, a frase mais incrível do universo. Desde que nascemos temos o instinto de nos comunicar para não morrermos, e isso é absurdamente poderoso.

 

Quem não se comunica, morre. Simples assim. Prova disso é que até os animais se comunicam, mesmo sem ter a capacidade de raciocínio que nós temos.

 

Esse, sim, é um luxo para a nossa espécie – então vamos usá-lo!

 

Uma das formas mais primitivas e, ainda assim, mais efetivas de se comunicar é através da escrita. Quando você utiliza a criatividade para escrever melhor, inova nos seus produtos e serviços e arrasa na conquista de novos clientes.

 

Não se trumbique. Escreva.

 

#2 Criatividade estrutura boas ideias

 

No meu curso online de escrita criativa mostro como tudo o que vemos hoje no marketing passa pela escrita. Até os vídeos que adoramos, no YouTube, têm um roteiro por trás do luz, câmera e ação.

 

Portanto, a escrita criativa é uma boa forma de estruturar as ideias e não sair falando pelos cotovelos sem uma linha de raciocínio. Com a escrita, o argumento não se perde – e tem grandes chances de não passar como vago. Como podemos dar começo, meio e fim para as coisas que escrevemos, podemos divagar bastante pelos assuntos interessantes sem deixar o leitor maluco.

 

#3 Escrever é terapia

 

Antes de começar a escrever como freela eu já tinha meus blogs e, mesmo que minha audiência fosse pequena, eu achava isso o máximo. Afinal, a escrita cria um repositório fora da nossa cabeça que armazena tudo aquilo que a gente quer dizer.

 

Nesse caso, a dica é forte: tenha sempre um caderninho contigo para sair escrevendo aquilo que der na telha. Você não acredita em como isso ajuda, não só para descansar a cabeça mas, também, para melhorar a carreira. Tanta ideia eu já tive pra cliente só passando o olho pelas minhas anotações de dentro do ônibus…

 

#4 A escrita por trabalho pode virar arte

 

Tenho essa vontade de, um dia, publicar um livro. Adoro saber que os esforços que faço para isso se tornarão méritos dentro da minha própria consciência, já que escrever como arte não predispõem certos e errados. A arte é arte, e pronto.

 

Às vezes, tudo o que você quer é ganhar dinheiro vivendo da arte. Mas, até lá, escrever com criatividade para clientes vai dando uma boa base de treinamento para o que vem a seguir – inclusive saber lidar com críticas e feedbacks nem tão positivos.

 

Fora que, ao escrever como arte você pode perder vários medos, em relação ao leitor, que te atrapalham na carreira de freela.

 

Ah, e uma dica pra começar a ver arte naquilo que você redige, e não só pretextos para não mais redigir, escreva como se ninguém mais fosse ler, só você.

 

É tão divertido que você vai quase achar que isso é o suficiente. Talvez não seja… aí você me mostra, porque adoro ler coisas que emocionam ou divertem as pessoas que as escrevem.

 

#5 Escrita criativa dá dinheiro

 

Quem precisa escrever pra impulsionar os negócios não pode não ser criativo. Senão, quais diferenciais seu texto vai ter?

 

Negócios que apostam no Marketing de Conteúdo estão em alta porque criam mais chances de venda para os clientes que contratam os redatores. Para ser uma dessas pessoas que vivem de escrever para os outros, no entanto, é preciso saber fazer isso da forma certa.

 

Nesse caso, existem muitas diferenças entre arte e business, mas as duas vertentes precisam da imaginação do escritor para render dinheiro. Já falei e repito: a internet está cheia de textos chatos. Se for pra ser mais um deles, nem tente virar freela. Você vai ter poucos clientes e eles nunca vão retornar.

 

Mas, se você quer fazer diferente, aposte na escrita criativa. Aposte na capacidade do seu cérebro de te fazer imaginar linhas, ganchos e argumentos que vão ganhar o leitor e transformar o investimento em estratégia de conteúdo no retorno que as empresas buscam.

 

Assim, você sempre terá clientes e, um dia, poderá se tornar uma microempresa, uma empresa, uma multinacional… o céu é o limite. Ou talvez nem seja. O importante é lembrar que ter criatividade e escrever com essa ferramenta só depende de você.

 

Com trabalho duro e muitas ideias você pode se tornar referência e se apaixonar ainda mais pela vida de freela que você escolheu seguir.

 

Para saber mais como aprender escrita criativa, não deixe de visitar este link!

Laís Menini
Autor
Laís Menini
Sou formada em jornalismo pelo UniBH e tenho um MBA em comunicação pela UNA. Atualmente sou diretora executiva da Tea With Me! e gestora de conteúdo da Profissas. Criadora do Sérieterapia, sou fã de séries (claro!), viagens, do Cruzeiro e de Dragon Ball. Atualmente moro em Belo Horizonte e, nas horas vagas, ministro oficinas sobre criação de conteúdo para internet.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desenvolvido por: