Assinar Newsletter

Receba novidades, artigos e dicas especiais.

Freela alocado: sou freelancer…mas nem tanto!

Nessa vida de freelancer nunca temos certeza de muita coisa. Um dia estamos no cinema às 2 da tarde, no outro trabalhando até as 2 da manhã. A escolha de nos permitir ter uma vida com infinitas possibilidades é um dos pontos mais atrativos da nossa forma de trabalho. Mas, por termos uma rotina em que podemos nos adaptar para realizar diversas atividades, também surgem diversos tipos de propostas de trabalho. Entre elas, está a possibilidade de ser freela alocado em um cliente.

Depois de ter testado a carreira solo no home office, atualmente estou freelando alocada em uma agência. Neste post, vim contar as vantagens e desvantagens dessa forma de trabalho!

A vida de um freela alocado em agência

Ser freelancer alocado quer dizer que você está contratado por um determinado tempo em uma empresa. Às vezes apenas por um projeto, às vezes por um período específico, mas sem vínculo empregatício.

Essa forma de trabalho também é bacana, te faz conhecer mais pessoas, sair um pouco do home office, aprender mais sobre alguma área em que nunca tenha trabalhado e fazer novas conexões, que futuramente poderão gerar mais e mais jobs!

Algumas empresas, principalmente agências, possuem um banco de freelas para os momentos de sobrecarga de trabalho ou para a realização de um projeto pontual e específico. Portanto, podemos organizar nossas datas e viver freelando em vários lugares, uma semana em um lugar, outra semana em outro, voltarmos ao home office, ser freela alocado novamente…e é basicamente isso que estou fazendo.

O lado negativo: é um trabalho normal, cumprir um horário, ter chefe, várias reuniões, e todo aquela rotina de sempre. Os requisitos da vida de freela também continuam iguais, os prazos devem ser cumpridos e não é porque seu trabalho tem data para terminar que seu job deve ter menos importância.

Antes de aceitar essa forma de trabalho é bom se certificar sobre o tempo de permanência, o valor a ser recebido (pode ser fechado um valor para a diária ou por projeto, isso varia de empresa pra empresa), qual é o trabalho a ser desenvolvido e se você tem as skills necessárias para a realização do job.

Estar presente nos bancos de freelancers das empresas e com boa avaliação é excelente para quem quer ter garantia de job sempre batendo na porta. Esses trabalhos que aparecem para ser freela alocado ajudam bastante naqueles momentos em que nossos clientes “somem” e precisamos continuar a pagar as contas. Sabe?

Como conseguir job para ser um freela alocado?

freela

Além de manter relacionamento com profissionais que trabalham na mesma área que a sua, é interessante participar de grupos nas redes sociais e ficar ligado nas postagens por lá. Também é importante ficar atento em vagas para freelancers que aparecem em sites de empregos, como o Trampos, que possui um filtro exclusivo para esse tipo de atividade.

Entrar em contato com empresas que você já tenha trabalhado ou similares às que você já trabalhou também pode ser uma oportunidade de relacionamento para conseguir alguns freelas.

Por fim, indico esse modo de trabalho para quem, assim como eu, gosta de mudar de ares, conhecer pessoas e percebeu, depois de um tempo, que ficar 100% do dia em casa trabalhando talvez seja meio tedioso. É importante estar sempre aberto às oportunidades que surgem e conseguir enxergar nelas pontos de crescimento e aprendizado em novas áreas e com novas pessoas.

Claramente sinto saudade de almoçar e tirar uma soneca ou assistir a um episódio de Grey’s Anatomy no meio da tarde. É meio difícil acostumar com essa falta de conforto e liberdade, mas tenho sorte de estar em um ambiente com antigos e novos amigos, um lugar descontraído e flexível, que, para designers que gostam de ser livres como eu, é um quesito muito importante (risos).

Estou ganhando conhecimento, um portfólio incrível que eu não teria se estivesse atendendo pequenos clientes e criando uma rede de contatos e amigos que podem ser superimportantes no futuro tanto para mim, quanto para eles. Recomendo a experiência!

Você também trabalha ou já trabalhou como freela alocado no cliente? Compartilhe aqui nos comentários o que acha dessa experiência!

Natália Masiero

Paulistana, pisciana, curiosa e designer por formação, já trabalhou em vários lugares e conheceu um pouco de tudo, às vezes até se arrisca na fotografia, começou a se aventurar no mundo da programação há pouco tempo, gosta de viajar, de praia, de muitos livros, ilustração e de desenhos animados. Odeia leite e livros de autoajuda.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desenvolvido por: