Assinar Newsletter

Receba novidades, artigos e dicas especiais.

Hábitos para cultivar na carreira de freelancer

A gente cai de cabeça na carreira de freelancer, enche a pauta de jobs para entregar e, muitas vezes, parece até que esse modelo de trabalho simplesmente “aconteceu” para nós. Pelo menos foi o que senti quando virei freela full time. Aí, fica até um pouco difícil saber para onde queremos ir. Ou o que é preciso para crescer e ser mais feliz em uma carreira que não é assim tão linear…

 

As regras não estão escritas em nenhum lugar. Não temos valores da empresa para demonstrar no dia a dia de trabalho. Ninguém faz nosso plano de carreira ou avaliação de desempenho. Muito menos se preocupa com nosso bem-estar. Mas, nem por isso, a gente deve deixar de buscar o aperfeiçoamento (até porque ele está totalmente relacionado a quanto vamos ganhar no final do mês).

 

Para mim, conseguir alcançar esta evolução profissional em uma carreira independente e, ao mesmo tempo, manter a satisfação pessoal, está bastante relacionado a inserir alguns hábitos na sua rotina. Os meus eu compartilho neste artigo!

 

Hábito e carreira de freelancer: o que isso tem a ver?

 

Já escrevi outro artigo aqui para o Vivendo de Freela sobre O Poder do Hábito e como os hábitos estão relacionados à nossa rotina de trabalho independente.

 

De fato, tenho aprendido que eles ajudam a manter o foco, seja para conseguir produzir mais, seja para definir e alcançar objetivos. Desde que li o livro, inclusive, tenho tentado tornar algumas práticas mais frequentes no meu dia a dia, que listo abaixo:

 

1.Continuar aprendendo, sem parar

 

Meio clichê dizer que você precisa ter um hábito de aprendizado? Pois é, mas o que menos vejo por aí é freelancer que tem essa mentalidade. Falo inclusive de mim até uns meses atrás.

 

Se, por um lado, não sobrevivemos no mercado sem estarmos atualizados em nossa área de atuação, por outro, pouco investimos em aprendizado.

 

Eu sei. Falta tempo e dinheiro. Eu também usava essas desculpas, confesso. Mas tem tanto curso online com custo acessível, tantos meetups gratuitos, tanto evento acontecendo de graça na internet…

 

Assim, o hábito que venho cultivando na minha carreira de freelancer é: fazer pelo menos um curso online e participar de pelo menos um evento/palestra por mês. Onde encontro esses conteúdos?

 

 

(e tem muitos outros por aí!)

 

2. Conhecer pessoas proativamente

 

Essa é uma das mais difíceis para mim. Confesso que não sou a pessoa mais extrovertida para sair conhecendo pessoas por aí. Mas, para continuar gerando um pipeline de possíveis clientes e parceiros de negócio, não tem jeito, a gente precisa vencer qualquer inibição ou receio de ser inconveniente que possa existir.

 

Mas fica tranquilo, você pode fazer do jeito que seja mais confortável para você. Eu, por exemplo, me sinto mais à vontade fazendo networking pelo LinkedIn – e em mesas de bar, é claro. Mas, como tem sobrado pouco tempo pro happy hour ultimamente, tenho seguido uma rotina ativa na rede social mesmo.

 

O que faço? Publico artigos, adiciono pessoas com perfil de potenciais clientes e interajo em outras publicações. Além disso, quando me conecto com algum representante de empresa para a qual sonho em trabalhar, não perco a oportunidade de apresentar meu portfólio. Sutilmente, sem forçar a barra.

 

Quer saber outras formas de ativar sua rede de contatos? Tem outro post por aqui inteirinho sobre networking!

 

3. Preservar os momentos de lazer

 

Também não sou mestre nesse hábito, mas do fundo do coração tentando melhorar! O problema é que a sensação de “trabalhar mais = ganhar mais” é tão atrativa na carreira de freelancer, que muitas vezes, a gente começa a trabalhar sem parar e aceita qualquer tipo de job que surja pela frente.

 

Um grande desafio tem sido parar de trabalhar aos finais de semana, para fazer coisas que realmente me ajudem a ficar mais tranquila, a descansar e a curtir minha casa e minha família. Também vale reservar as pausas diárias para colocar as séries em dia, comer algo sem ser na frente do computador, conversar com o amor da sua vida, encontrar os amigos.

 

Ando tão preocupada com isso que inclusive um dos quadros que preencho toda semana no meu planner são os amigos que encontrei. Até agora, fiquei apenas uma semana sem ver pelo menos algum deles. Acho que estou indo bem!

 

4. Vender o seu peixe onde quer que esteja

 

Você está em uma festa de família, aparece aquele primo distante perguntando com o que você trabalha e você simplesmente desconversa ou dá uma resposta pouco esclarecedora? Meu amigo, perdeu a chance de fazer uma venda do seu trabalho!

 

Sério, descobri na prática que em terra de freela, indicações são ouro. E que as pessoas mais improváveis da sua rede de contatos podem te indicar para um potencial cliente. Por isso, esse hábito é tão importante.

 

No meu caso, resolvi logo de cara o problema criando o Vivendo de Freela. Quem me conhece (ou está conectado às pessoas próximas de mim), acaba sabendo do blog e que eu trabalho como freelancer. Ok, é certo que ainda tenho amigos que me definem como o Chandler do grupo (tá sempre com roupa de trabalho, mas ninguém sabe o que faz). Mas só para provar que vender seu peixe precisa ser um hábito diário na carreira de freelancer!

 

5. Organização, organização, organização

 

Adorava dizer que conseguia organizar tudo o que tinha para fazer na minha cabeça ou em um bloquinho de papel. Talvez isso funcionasse quando trabalhava como repórter e tinha no máximo duas pautas para trabalhar por dia… Bem diferente de ter cinco projetos acontecendo simultaneamente, com todas as complexidades envolvidas!

 

Não tem jeito, mesmo que você seja o rei dos desorganizados, vai precisar colocar em ordem sua pauta de trabalho, sua gestão financeira e o relacionamento com os clientes (nada de deixar eles esperando resposta de e-mail por mais de 1 dia, hein!).

 

Uma parte disso eu contei em outro post, em que falei sobre planejamento da rotina de trabalho!

 

6. Tome água

 

Não é brincadeira, tome água, use filtro solar, coma frutas, faça exercícios, medite e todas as recomendações de saúde e bem-estar que achar que valha a pena seguir. Não só para evitar ficar sem trabalhar por estar doente (atrasa todos os freelas, socorro!), mas também para se sentir mais disposto em sua rotina.

 

O que eu to fazendo nesse sentido? Tomando menos café (sofrimento), indo ao nutricionista, voltando a pelo menos caminhar até o ponto do ônibus, dormindo melhor, ouvindo música zen quando me estresso demais. Pelo menos a gastrite melhorou!

 

7. Valorizar a carreira que escolheu (ou que escolheu você!)

 

O último hábito deveria até ser lei. Já falei que você não deve deixar de vender seu peixe, a qualquer hora, em qualquer lugar. Mas qual a utilidade disso se você não acreditar no que está vendendo? Como se o fato de estar na carreira de freelancer fosse algo inferior à CLT ou temporário enquanto o emprego fixo não vem?

 

Sério, está mais do que na hora de começar a valorizar esse modelo de trabalho como uma opção de carreira, mudando qualquer imagem negativa que possa existir por aí no mercado. E começar a cultivar o hábito de valorizar o que faz e no formato independente certamente é um bom caminho. Concorda?

 

Quais hábitos você tem cultivado por aí?

 

Listei aqui os hábitos que têm me feito mais feliz como freelancer. E que têm me ajudado a seguir em frente com mais confiança, tranquilidade e melhores resultados também. Mas, é claro, nada disso é regra – como em qualquer outro tema relacionado à vida de um empreendedor.

 

Por isso, quero saber também quais são os hábitos que você tem cultivado por aí na sua carreira de freelancer! Conta para mim e para os outros leitores aqui nos comentários?

 


Lembrando que estamos também no nosso canal no YouTube, com vídeos novinhos sobre a vida de freela. Assina lá para não perder nenhum conteúdo. Também marcamos presença no Facebook, Instagram e LinkedIn. Nesses canais, compartilhamos muitas dicas para ter mais sucesso como freelancer e também para aproveitar todos os benefícios da carreira independente. É claro, também respondemos dúvidas. Só deixar elas aqui nos comentários do post 😃

Luciane Costa
Formada em jornalismo e apaixonada por conteúdo digital. Virou freelancer porque precisava de uma grana extra e acabou descobrindo que adora trabalhar assim. Gaúcha e morando em São Paulo, ela é viciada em séries de detetives e adora cozinhar.

Comentários

4 Comentários
  1. postado por
    Milena Marães
    set 11, 2018 Reply

    Muito bom o seu artigo. Tenho deixado vários hábitos. rsrs

    • Luciane Costa
      postado por
      Luciane Costa
      set 11, 2018 Reply

      Conta pra gente!!

  2. Guilherme Lazzari
    postado por
    Guilherme Lazzari
    out 1, 2018 Reply

    Oi Luciane, tudo bom? Primeiramente, parabéns pelo ótimo conteúdo!!

    Estou iniciando essa caminha para trabalhar como redator freelancer, e gostaria de saber sobre quais plataformas para freelancer você conhece.

    Já fiz cadastro na Rock Content, Text Broker e Meu Redator. Também quero fazer na Content Tools. Você conhece mais alguma que valha a pena aqui no Brasil?

    Abraços!!

    • Luciane Costa
      postado por
      Luciane Costa
      out 4, 2018 Reply

      Oi, Guilherme! Aqui no Brasil as que mais recomendo para começar são Rock Content e Contentools mesmo. Depois vai construindo tua carteira de clientes 😎 abraço e sucesso!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desenvolvido por: