Assinar Newsletter

Receba novidades, artigos e dicas especiais.

Nômade digital: o que é e como se tornar um

Você sabe o que é um nômade digital? Neste artigo, vamos explicar melhor esse conceito e como ele surgiu, mostrar quem são os nômades digitais e por que eles optaram por essa modalidade de trabalho, além de oferecer algumas dicas de como é possível se tornar um nômade digital.

 

O nomadismo digital é uma tendência entre as gerações mais jovens porque permite que elas trabalhem, estudem e construam uma carreira ao mesmo tempo em que visitam ou moram em lugares que antes pareciam próximos apenas nos sonhos.

 

Essa possibilidade é característica de nossa era porque foi só com tecnologias como a internet e avanços em cloud computing que o nômade digital pôde realmente levar o escritório na mochila e trabalhar de onde quiser.

 

Essa modalidade, porém, exige muita disciplina e bastante responsabilidade da parte do profissional. E nesse guia completo você entenderá exatamente o que é ser um nômade digital. Vamos lá?

 

O que é um nômade digital?

 

Vivemos na era da inovação e, felizmente, hoje as tecnologias não são utilizadas apenas para revolucionar os processos de negócios. Aplicados aos recursos humanos de uma empresa, os avanços na TI nos permitem vislumbrar um presente no qual não é preciso se locomover para chegar até o trabalho. Estamos falando, é claro, do pano de fundo que permitiu a existência dos nômades digitais.

 

É provável que você já utilize no dia a dia muitas das tecnologias que tornaram o nomadismo digital possível, principalmente se você realiza trabalhos como freelancer. Estamos falando dos e-mails acessíveis remotamente, utilizando apenas uma URL, dos serviços de transferência de arquivos e dos websites e plataformas que permitem que alguém conquiste um cliente em qualquer lugar do mundo.

 

Não ter um emprego formal não é mais sinônimo de não trabalhar. Profissionais cada vez mais capacitados em diversas áreas do conhecimento simultaneamente preenchem uma força de trabalho disposta a encarar novos desafios todos os dias, sem necessariamente precisar de um chefe para isso.

 

Todas essas mudanças ajudaram a configurar o que chamamos de estilo de vida do nômade digital. De maneira simples e direta, podemos definir esses profissionais como pessoas que trabalham online, ou seja, não precisam ir até um escritório todos os dias. Mas é claro que essa subcultura não para por aí.

 

Você pode ser um nômade digital se trabalha da sua casa ou de Berlim. E conforme as pessoas perceberam isso, elas notaram que era hora de fazer as malas e começar a viver seus sonhos. O nomadismo digital deixou de significar apenas trabalhar online e se tornou trabalhar online de um café em Viena, de uma praia em Punta del Este ou de um Airbnb na Nova Zelândia.

 

Em vez de “tirar férias”, esses profissionais escolheram experimentar cidades, sabores e culturas enquanto trabalham e forjaram para si carreiras que podem ser construídas de uma biblioteca pública ou de um bar.

 

Os nômades digitais aprenderam a nivelar as tecnologias disponíveis ao seu alcance para fazer como nossos antepassados que atravessaram o estreito de Bering em busca de condições de vida melhores. Eles desistiram de morar em um só lugar e tornaram-se, de fato, cidadãos do mundo.

 

Quais são as vantagens de se tornar um nômade digital?

 

Afinal, o que faz com que uma pessoa abandone sua casa e um trabalho tradicional para percorrer o mundo em trabalhos temporários ou executando suas funções muito longe das sedes de suas empresas? Há uma série de benefícios no estilo de vida do nômade digital e você confere alguns deles a seguir.

 

Mais flexibilidade

 

A flexibilidade é provavelmente o aspecto mais fácil de entender na vida de um nômade digital. Mesmo porque, longe dos escritórios, é preciso gerenciar sua própria carreira e escolher como, quando e onde você trabalhará. Muitas pessoas acreditam que são mais produtivas e que podem obter mais qualidade de vida trabalhando assim, e esse se tornou um dos argumentos mais favoráveis ao nomadismo digital.

 

Mas nem tudo são flores. A autogerência dos nômades digitais não traz apenas flexibilidade para a mesa. Ela também significa que esses profissionais assumem, em seu dia a dia, mais riscos do que quem opta por permanecer no escritório.

 

Eles precisam saber administrar bem deadlines e devem buscar estabilidade nas suas escolhas. Trabalhar apenas quando se quer não pode significar não trabalhar nunca, e os nômades digitais mais bem-sucedidos geralmente são aqueles que conseguem criar para si uma rotina equilibrada.

 

Menos stress

 

Os escritórios são uma constante fonte de stress, seja porque as pessoas ficam enfiadas em cubículos, seja porque se incomodam com o barulho dos colegas em arquiteturas de plano aberto. O fato é que a pressão de estar em um lugar no qual todas as pessoas trabalham no mesmo horário e têm a expectativa de interagir socialmente uma porção de vezes pode ser difícil, especialmente para aqueles mais introvertidos.

 

Eliminando o elemento de stress e optando por trabalhar de onde mais lhes convém, os nômades digitais encontram uma forma de serem mais produtivos e focados, o que permite que eles trabalhem menos em comparação com quem precisa cumprir oito horas diárias ou mais.

 

Menos trânsito

 

Uma das partes mais estressantes do dia a dia das cidades é o trânsito. Como o horário comercial é um só, várias pessoas precisam estar em locais muito distantes de suas residências em uma mesma faixa de tempo, o que significa engarrafamentos e um transporte público aquém do ideal. O nomadismo digital ajuda a evitar esse aspecto da vida moderna, que pode consumir, em alguns casos, até três horas diárias.

 

Trabalhos melhores

 

Como a maioria dos nômades digitais gerencia as próprias carreiras, eles podem escolher com o que trabalhar e para quem. Isso quer dizer atender clientes e projetos que tenham mais a ver com as suas expectativas (e que tragam rendimentos compatíveis com o que foi idealizado).

 

Esse benefício ajuda a fazer dos nômades digitais pessoas mais produtivas e realizadas em suas profissões e é, por si só, um motivo e tanto para abandonar o escritório.

 

O que devo fazer se eu quiser ser um nômade digital?

 

Curtiu as vantagens de se tornar um nômade digital e mal pode esperar para descobrir como se tornar um? Confira, no passo a passo abaixo, o que é preciso para realizar esse sonho!

 

Encontre a carreira adequada

 

Nem todas as profissões podem conduzi-lo ao nomadismo digital. Outras já têm mais chances de permitir que você leve esse estilo de vida.

 

Empregos em tecnologia, marketing, publicidade, produção de conteúdo e atendimento ao consumidor são os mais comuns entre os nômades digitais. Portanto, será preciso buscar formação em uma área com a qual você se identifique e na qual esse modelo de trabalho seja comum, caso contrário, o sonho do nomadismo digital vai ter de ficar para mais tarde.

 

Aprenda idiomas

 

Um nômade digital muitas vezes não terá clientes apenas em seu país de origem e trabalhará com parceiros ao redor do mundo. Para fazê-lo bem, é preciso conhecer e se tornar fluente em múltiplos idiomas, a fim de obter o desempenho necessário para o sucesso. Se você pretende se aventurar pelo nomadismo digital, considere começar agora mesmo um curso de idioma e leve a sério seus estudos.

 

Busque construir parcerias

 

Os nômades digitais não são ninguém sem seus clientes e o caminho mais fácil para obter estabilidade nessa carreira é encontrar uma parceria de trabalho que traga bons rendimentos. Afinal, você não quer estar do outro lado do mundo sem a expectativa de ganhar dinheiro para comprar o ticket de volta para casa, certo?

 

Nômades digitais que se preparam com antecedência para adotar esse estilo de vida, que fazem reservas financeiras e que constroem uma rede de networking capaz de provê-los com trabalho constante são aqueles que conseguem os melhores resultados.

 

Aprenda a trabalhar sozinho

 

Por último, mas não menos importante, um nômade digital enfrentará constantemente a exigência para entregar trabalhos cada vez melhores e com maior eficiência. Por isso, é bom investir em uma experiência como freelancer antes de embarcar nessa viagem. Essa experiência lhe ensinará a trabalhar sozinho, a empregar ferramentas que otimizam os seus retornos e a se organizar para ser produtivo nas mais variadas situações.

 

Não estamos falando de companhia, o que você poderá encontrar em espaços de coworking ao redor do mundo, mas de autogerência. Um nômade digital que não consegue se comprometer com o trabalho e produzir com uma boa frequência sempre enfrentará problemas para desfrutar do estilo de vida pelo qual optou.

 

Quem já embarcou nessa?

 

Os nômades digitais têm um motivo extra para investir nessa carreira. Há muitos blogueiros e influenciadores que optaram pelo estilo de vida e compartilham dicas e o que aprenderam com o nomadismo digital.

 

Você pode encontrar mais informações sobre isso em blogs como o 360 Meridianos. Acompanhar pessoas que fizeram a mesma escolha que você o ajudará a se manter motivado e focado no seu objetivo.

 

O nomadismo digital não é para qualquer um. Muita responsabilidade e jogo de cintura são exigidos de quem opta por esse estilo de vida. Mas se você leu este artigo até aqui e se identificou com as aspirações e características dos nômades digitais, além dos benefícios que essa escolha pode trazer, talvez essa seja a opção certa para você.

 

Gostou de saber mais sobre o que significa ser um nômade digital, entender o que ele é e descobrir o que é preciso para se tornar um? Então, não se esqueça de compartilhar o que achou do assunto nos comentários!

dimitriv
Autor
dimitriv
Engenheiro eletricista de formação, analista de Marketing Digital na Rock Content e editor-chefe do blog Comunidade Rock Content.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desenvolvido por: