Assinar Newsletter

Receba novidades, artigos e dicas especiais.

Minha filha é minha colega de escritório (ou como não surtar em um home office com crianças)

Helena completou um ano e sete meses recentemente. Muitas coisas mudaram desde a primeira vez que escrevi para o blog Vivendo de Freela contanto sobre minha experiência como “malabarista em treinamento“. Naquele período, Helena ainda não estava na creche por meio período e eu arriscava meus primeiros passos na vida de “mamãe-que-trabalha-como-freelancer.”

Hoje Helena é uma bebê extremamente ativa, brincalhona, que adora correr e pular no sofá. Também pede minha atenção o tempo todo, algo que não era tão intenso em seus primeiros meses de vida. Por ser um bebê rechonchudo que apenas comia e dormia, era mais fácil organizar o trabalho de freelance com sonecas e cuidados simples, como alimentar, trocar fraldas e balançar no berço. Dava tempo de responder a e-mails, dar telefonemas importantes e produzir algo para entregar aos clientes dentro dos prazos acordados.

Porém, hoje preciso me desdobrar para inventar brincadeiras, desenhar (me riscando inteira de canetinha, diga-se de passagem), cuidar para ela não se jogar do sofá imitando algum super-herói voador e responder às mensagens que “bombam” no meu Whatsapp. Diante deste cenário quase caótico, parece praticamente impossível conciliar o trabalho em casa com crianças desesperadas por sua atenção.

Para falar a verdade, todos os dias eu penso que é impossível. Às vezes a demanda de Helena por “mamama” (hoje meu novo nome, depois de Daiana) é tão grande que não consigo atender a tudo ao mesmo tempo. Mães não são multitarefas (aliás, ninguém é) e, como prezo pelas atividades bem executadas e que tragam o resultado que espero, a dedicação ao trabalho é diferente da dedicação às crianças, e tentar fazer as duas coisas juntas é sinônimo de resultados “meia-boca”: seus filhos não interagem com você de forma agradável e você não consegue concluir aquela tarefa do trabalho como gostaria. E aí vem a maldita culpa que nasce com todas as mães, chicoteando você pelas costas o tempo todo.

daiana
Eu e a Helena

 

Mas como alguém famoso disse uma vez, “não sabendo que era impossível, foi lá e fez”. Seja quem for o autor dessa frase, ela se aplica perfeitamente à maternidade e suas aventuras e desventuras. Quando sinto que parece impossível trabalhar e dar atenção para minha filha, magicamente consigo dar um jeito. Afinal, tive que fazer alguns arranjos para fazer meus projetos acontecerem. Considero-me uma pessoa muito sortuda, pois tenho pessoas maravilhosas à minha volta que me ajudam quando preciso. E atualmente Helena está em uma creche muito bacana, onde brinca, faz amigos e se diverte por algumas horas durante a tarde. Nesse período consigo trabalhar em paz, concentrada em meus afazeres.

Dedicar-me ao trabalho tem sido cada vez mais importante para mim e estimulo outras mães a fazer o mesmo. Constantemente penso em como será a minha vida quando Helena crescer, e quanto mais trabalho em meus projetos, mais otimista em relação ao meu futuro como mulher eu fico. Um dia Helena sairá debaixo de minhas asas e ganhará o mundo. E eu seguirei minha vida de forma produtiva e enriquecedora, me dedicando a uma profissão e tendo autonomia. Sigo tendo muitas dúvidas em relação à profissão, me arrisco em outras atividades interessantes, mas sigo tentando ser um exemplo de mulher que quero ser para a minha filha. Não consigo parar no tempo. Ele corre cada vez mais rápido na minha frente. Portanto, desejo de coração que as mães pelo mundo afora busquem sua autonomia e se apoderem de suas próprias vidas. Seus filhos terão orgulho de vocês, mamães!

Mas afinal, como não surtar em um home office com crianças?

A pergunta de um milhão de dólares é: como conciliar trabalho e crianças em casa quando seus filhos são praticamente seus colegas de escritório? Acho que ninguém tem resposta para essa questão, mas algumas dicas me ajudaram – e ajudam – muito nessa empreitada da qual não desisti. Helena atualmente não é uma colega de trabalho muito cooperativa, pois está cada vez mais doida para mexer no meu computador. Suas mãozinhas batem nas teclas me pedindo atenção e meus textos quase são deletados. Mas quando ela está em casa e eu PRECISO trabalhar MESMO (ainda mais quando os prazos de entrega estão literalmente roendo meu coração), sigo estas diretrizes (nem todas, pois algumas ainda estão em fase de testes na minha rotina):

Planeje-se

Organize suas atividades da semana no domingo ou segunda-feira pela manhã. Assim você saberá o que fazer, quanto tempo cada atividade leva para ser concluída e, dependendo do nível de complexidade da tarefa, se você consegue manter seu filho ocupado com brinquedos, jogos ou lápis colorido e papel do lado de sua cadeira. Conforme seus filhos crescem, eles conseguem se manter ocupados sozinhos por um tempo curto. Dessa forma você consegue se concentrar em determinadas atividades.

Peça ajuda sempre que necessário

Volto a insistir neste item, pois já havia comentado no texto anterior. Se no meio daquele projeto grande você não consegue trabalhar ao lado de seus filhos – pois precisa se concentrar – e ficar longe deles é essencial para o sucesso de sua entrega, peça ajuda a alguém para dar atenção aos seus filhos durante o tempo que você precisa. Pode ser um vizinho, uma babá temporária ou um parente próximo. Engula o orgulho, desapegue do pessimismo e vá atrás de ajuda. Você vai produzir mais e melhor. E mães não são onipotentes (por mais que pensem que são).

Converse com seus filhos e delimite espaços

Explicar para as crianças que os pais não podem dar atenção a elas 24h por dia é fundamental para o sucesso de qualquer empreitada home office style. Uma boa conversa que explique que a mamãe precisa trabalhar e se concentrar por algumas horas funciona se a criança já tem uma certa idade para compreender essa necessidade. Helena ainda não entende muito bem, mas aos poucos ela percebe que temos vidas independentes. E separe um espaço para seu trabalho e as brincadeiras das crianças. Se não for possível separar salas em sua casa, monte dentro de seu home office uma área onde elas possam brincar perto de você (mas não em cima de suas papeladas e laptops).

Acorde antes deles – e trabalhe like a boss

Confesso que ainda não consegui fazer isso na frequência que eu gostaria, mas acho essa dica fantástica. Se seus filhos acordam tarde (ainda pela manhã), acorde mais cedo e coloque em dia suas demandas de trabalho. Produzir cedo durante o dia é recompensador, pois assim que seus filhos acordarem você não estará tão ansiosa com as demandas que ficariam pendentes. Chegue em seu home office antes de seus coleguinhas e vire o boss.

Precisa se cobrar tanto?

Minha situação como mãe freelancer é muito melhor em alguns aspectos, pois consegui um tempo livre no dia para trabalhar. Mas se o seu caso não é este, por diversos motivos, espero que aproveite estas dicas. E não esqueça de uma muito importante: não se cobre tanto e aproveite o tempo com seus filhos. Ao brincar com eles, brinque de verdade (sem fuçar o tempo todo no celular, respondendo e-mails). Ao ler livros para eles, sente no chão e leia de verdade (sem assistir à TV). Dê atenção real, que é o que eles mais precisam que venha de você. É complicado, mas é possível manter o equilíbrio. Todos os dias tentamos um pouco mais e nos tornamos melhores. Erramos e acertamos toda hora. Mas o mais importante é não deixar de viver as experiências que surjem na sua vida.


Você também divide o home office com crianças? Compartilhe aqui nos comentários como faz para se manter produtivo, mas não perder nenhum momento ao lado delas. 🙂


Lembrando que estamos também no nosso canal no YouTube, com vídeos novinhos sobre a vida de freela. Assina lá para não perder nenhum conteúdo. Também marcamos presença no Facebook, Instagram e LinkedIn. Nesses canais, compartilhamos muitas dicas para ter mais sucesso como freelancer e também para aproveitar todos os benefícios da carreira independente. É claro, também respondemos dúvidas. Só deixar elas aqui nos comentários do post 😃 

Daiana Souza
Autor
Daiana Souza
Daiana Souza, 30 anos, mãe da Helena (1 ano) e publicitária apaixonada por comunicação, marketing, educação e outros mil e um assuntos da vida. Está aprendendo a ser freelancer. Sonha em se tornar corredora-amadora-quase-profissional (meta: 3 quilômetros no fim do ano), mas por enquanto se prepara correndo atrás da pequena Helena pela casa.

Comentários

1 Comentário
  1. postado por
    Nathalia
    jun 7, 2017 Reply

    Mulher! Misericórdia! Obrigada pela luz! Atualmente saí do meu emprego resolvi investir na minha empresa, tenho dois colegas de escritório, um de 5 anos e um de 7 meses, realmente tem hora que é doidera! Ave! Hahahaa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desenvolvido por: