Assinar Newsletter

Receba novidades, artigos e dicas especiais.

Finanças para autônomos e freelancers: o desafio de ganhar mais e gastar menos

Ganhar mais. Gastar menos. Se você é freelancer, empreendedor ou autônomo como eu, aposto que também acorda pensando nisso a maior parte dos dias. Acertei? E que ansiedade que isso traz!

Não me considero a grande especialista em finanças pessoais (nem espero que vocês considerem). Nos últimos anos, porém, posso dizer que aos trancos e barrancos consegui aprender a me virar bem depois de trocar a vida de CLT pela de freelancer-empreendedora-profissional independente.

Aprendi a reduzir custos, a lidar com a renda sempre variável, a reservar uma grana para as emergências e até a ter um extra guardado para cobrir os dias de férias. É claro, li muito sobre finanças (eu adoro) e contei com ajuda de quem já tinha trilhado um caminho como o meu.

Agora, o objetivo desse artigo é tentar ajudar vocês a lidarem com a vida financeira de uma forma mais segura e planejada, compartilhando aqui o que aprendi sobre finanças para autônomos e freelancers.

Neste texto você vai ler sobre:

  • Planejamento financeiro
  • Como gastar menos como autônomo ou freelancer
  • Como ganhar mais como autônomo ou freelancer
  • Ferramentas para manter as finanças em dia
  • Onde aprender mais sobre finanças

Aproveitem e compartilhem também o que acham importante nos comentários do post!

Não comece sem planejar as finanças

Eu vou dar dicas bem práticas nesse artigo. Mas, antes disso, a gente precisa falar sobre planejamento financeiro. Que, basicamente, é definir quanto você irá ganhar a partir de cada fonte de renda, onde e como irá gastar e como investirá o que sobrar.

Sem planejamento não tem vida financeira tranquila (a não ser que você tenha nascido em berço de ouro ou goste mesmo de viver perigosamente). Por isso, não siga a leitura sem colocar no papel renda, custos fixos, custos extras, investimentos e tudo o mais…

Não sabe como fazer? Leia esse livro aqui. O link gera comissão para o blog sem que pague nada a mais por isso, mas você pode comprar onde quiser. Apenas leia 🙂

Como gastar menos como autônomo ou freelancer?

Agora sim, vamos para ações que você pode colocar em prática para organizar o orçamento e se tornar mais seguro em finanças para autônomos e freelancers. Começando por reduzir custos, com dicas minhas e também dos seguidores do Instagram do Vivendo de Freela, que contribuíram em uma pergunta que lancei por lá.

Concentrar reuniões e atividades fora do home office

Essa eu aprendi depois de explodir meu cartão de crédito com gastos de Uber indo para reuniões em clientes. Com o tempo, passei a tentar montar minha agenda de reuniões e outros compromissos sempre por regiões (moro em São Paulo, acho que aqui isso é ainda mais importante).

Fazer calls e não encontros

Mas… o que me traz mais economia mesmo é não sair para reuniões. É claro que vez ou outra é preciso estar nos lugares presencialmente, porém dá para resolver muitos temas por videoconferência, praticamente com a mesma experiência.

Isso economiza dinheiro e dá uma bela ajuda na produtividade!

Ferramenta que recomendo: appear.in

Contratar uma contabilidade online

Mudei recentemente a contabilidade da minha empresa de um escritório tradicional para um online, o Simplificador (que também é parceiro aqui do blog). Com isso, reduzi em cerca de R$ 200,00 por mês as despesas e ainda tive uma grata surpresa por ter um atendimento até melhor do que recebia.

“Ah, mas sou MEI e não compensa gastar em contabilidade”. Compensa sim, só assistir ao vídeo abaixo!

Mudar para os bancos digitais

Quando falei para a minha amiga Leila (do É da Minha Conta) o quanto deixava para o banco em tarifa de conta PJ, conta PF e anuidade do cartão de crédito, ela ficou chocada. O pior que era por pura preguiça de migrar para as contas dos bancos digitais… Estou fazendo isso aos poucos e, por enquanto, nada a reclamar, inclusive estou amando essa vida de tarifa zero.

Se você tem receio de sair das instituições financeiras tradicionais, a dica dela é migrar para um pacote de Serviços Essenciais do seu banco.

Trabalhar em locais sem custo

Home Office, espaços culturais, bibliotecas, coworkings como o da FIAP, casa dos amigos.. Se a ideia é reduzir custos, nada de investir alto em escritório físico. E, quando precisar fazer reunião com um cliente, procure um local que alugue salas de reunião por hora.

Ah, para mim, cafés não entram nessa lista… só o que você consome em um dia de trabalho dá para pagar uma diária em um coworking, que acaba sendo bem mais adequado para trabalhar.

Fazer as refeições em casa

Já que falei em consumo em cafés, nada melhor do que a boa marmita para gastar menos na vida como freelancer. Eu gosto de cozinhar e sou meio viciada em calcular quanto custou cada refeição, fico super feliz quando como filé mignon em um prato que saiu R$ 8,00…

E quando preciso trabalhar em outro lugar, tento levar a marmita comigo também!

Dividir custos com outros profissionais

A gente começa a trabalhar por conta própria e vai se surpreendendo com o quanto de despesa que precisa assumir. O que a gente não costuma pensar é que tem muita coisa que dá para compartilhar com outros profissionais, reduzindo custos.

Ferramentas de gestão, contas em bancos de imagens, planos em softwares, entre tantas outras coisas… Que tal mapear o que você tem como despesa por mês e descobrir se tem alguém que topa compartilhar com você? (respeitando os termos de utilização, por favor!!)

Apostar nos softwares e ferramentas gratuitos

Mas nem só de ferramentas pagas nós vivemos, ainda bem! Tem muita solução gratuita para facilitar nossa vida. Ou, então, naqueles modelos freemium, em que você vai ampliando conforme a necessidade.

E aqui vale a sua avaliação: às vezes é muito melhor a experiência de uma ferramenta paga, mas o custo vai fazer tanta diferença no resultado final?

Quer dicas de ferramentas grátis? Aqui tem 79 para Marketing Digital. 

Não fazer dívidas

Última dica: não faça dívidas. Dívidas sempre vêm muito mal acompanhadas de juros que vão comer um pouquinho ou um poucão do dinheiro que você vai ter que ganhar para quitar esse compromisso financeiro. Melhor nem chegar perto delas!

Como ganhar mais como autônomo ou freelancer?

Agora vem a parte mais interessante! Aprender a ganhar mais também é essencial nas finanças para autônomos ou freelancers. E isso não significa virar as noites trabalhando, existem caminhos muito melhores para chegar lá!

Utilizar melhor seu tempo

Já falei aqui no blog sobre como calcular o valor da sua hora. Depois de saber disso, meu conselho é começar a medir tudo a partir de sua hora trabalho para escolher como vai usar seu tempo.

Por exemplo: “vale a pena usar meu tempo para fazer o controle financeiro da empresa ou posso delegar essa atividade para alguém com uma hora mais barata?”

Quando você começa a escolher onde vai usar seu tempo, começa a focar mais em novos projetos, em prospecção de novos clientes e em atividades mais estratégicas – mesmo que isso signifique investir um pouco mais no início.

Outro ponto importante aqui é começar a avaliar o retorno que cada projeto traz para você de acordo com o custo da hora, incluindo tempo em reuniões e deslocamento. Recomendo usar a ferramenta Toggl para essa gestão de tempo investido x ganhos em projetos.

Saber quanto cobrar

Se falamos em quanto vale a sua hora, é importante lembrar de não cobrar menos do que vale o seu serviço.

Temos um mercado muito pautado pelo leilão de preço, infelizmente, mas cabe a nós educar os clientes e prospects sobre o que são valores justos para cada serviço e para cada experiência profissional.

Escrevi um artigo que é um verdadeiro desabafo sobre o tema, com dicas para melhorar esse cenário: Leia “Freelas, por que cobramos tão pouco?

E, como diz um cliente meu, preço não deixa de ser uma questão de auto-estima.

Fechar parcerias estratégicas

Este é um dos pontos que mais gosto quando o assunto é ganhar mais como freelancer. Trabalhando em parceria com outros profissionais, você reduz o tempo investido em prospecção comercial e pode oferecer um serviço mais completo para seus clientes.

Por exemplo, na minha “eugência”, não tenho serviços de Design ou Desenvolvimento de Sites. Porém, quando surge a demanda de algum cliente neste sentido, conto com parceiros de confiança para realizar o projeto, às vezes sob minha coordenação.

Da mesma forma, eles me indicam para clientes que precisam de projetos de planejamento ou gestão de Marketing.

Gerar renda passiva

Renda passiva é aquele dinheiro que você recebe sem estar diretamente dedicando seu tempo para isso. Entram aqui os investimentos e os ganhos com programas de afiliados, por exemplo. Para quem não recebe salário fixo, esses ganhos podem dar uma boa ajuda no final do mês.

Tem um artigo inteirinho sobre o tema aqui no blog, recomendo a leitura!

Fazer um trabalho acima da média

Quem entrega sempre serviços de excelente qualidade não costuma se preocupar com falta de projetos e também tem mais liberdade para cobrar o preço que acha justo pelos seus serviços. Em um mercado que ainda carece de profissionalismo, isso é bastante importante!

Não hesite em avaliar continuamente seu trabalho, tanto de acordo com a sua percepção quanto pedindo feedbacks aos clientes. A partir disso podem surgir até novos argumentos para vender seu serviço – foi assim que descobri que era boa de planejamento, por exemplo.

Automatizar processos administrativos

Tem muita gente com medo da automatização de atividades, mas é essa evolução que vai nos tornar mais produtivos, criativos e estratégicos. Portanto, aproveite o que já existe de ferramenta para automação de processos!

O que dá para aproveitar nesse sentido? Depende da sua área, mas tem chatbots para responder as redes sociais dos clientes, ferramentas para gerar relatórios, automação de e-mail marketing…

Se ainda não leu, recomendo o livro Trabalhe 4 horas por semana (link de afiliado, gera comissão para o blog, sem nenhum custo a mais para você).

Finanças para autônomos e freelancers: como acompanhar?

De nada vale tomar atitudes para ganhar mais ou gastar menos como freelancer se você não tiver uma excelente gestão financeira. Por isso, deixo aqui recomendações de apps e ferramentas para se organizar:

  • Apps dos bancos: a maioria dos bancos tem um bom app para celular. Use ele todos os dias para checar seu saldo, gastos com cartão de crédito e rendimento dos investimentos.
  • App do GuiaBolso: é um dos apps que mais gosto para gestão financeira, pois integra todas as contas e cartões e permite definir metas para cada tipo de despesa.
  • Software Controlle: para quem quer organizar o fluxo de caixa PJ, gosto muito dessa ferramenta. Faz conciliação bancária, classifica gastos por centro de custo e gera bons relatórios.
  • Planilha do Excel: essa é uma boa planilha de finanças para autônomos e freelancers.

Minhas recomendações para aprender sobre finanças para autônomos e freelancers

Antes de ir embora desse artigo… falei lá no início que não sou nenhuma especialista em finanças pessoais, apenas consegui levar por 5 anos (por enquanto) a vida de freelancer sem nenhuma dívida.

Para tanto, me ajudou muito aprender com quem realmente sabe sobre o assunto. Sigam essas pessoas! 🙂

Sobre liberdade na carreira e nas finanças

Escrevi este artigo sobre finanças para autônomos e freelancers com um desejo muito grande de poder contribuir para que vocês tenham não só uma carreira independente, mas também uma vida financeira assim. Até porque não dá para separar as duas coisas, não é?

Com finanças mais equilibradas a gente consegue ter segurança para apresentar o preço justo em uma proposta, para investir mais em nosso desenvolvimento e para tomar mais riscos. Assim, nosso mercado vai se tornando mais profissional e mais reconhecido, um projeto de cada vez.

E, se você sente que pode contribuir de alguma forma, não deixe de dar as suas recomendações sobre finanças para autônomos e freelancers aqui nos comentários. Vai ser ótimo contar com a sua colaboração!

Luciane Costa
Formada em jornalismo e apaixonada por conteúdo digital. Virou freelancer porque precisava de uma grana extra e acabou descobrindo que adora trabalhar assim. Gaúcha e morando em São Paulo, ela é viciada em séries de detetives e adora cozinhar.

Deixe um comentário

Desenvolvido por: