Assinar Newsletter

Receba novidades, artigos e dicas especiais.

Produtividade e alimentação: dicas da nutricionista para render mais!

Fiquei super feliz quando a Lu me convidou para escrever um texto para o Vivendo de Freela! Não sou freelancer, mas concilio a vida de nutricionista com meu doutorado. Ou seja, produtividade faz toda a diferença na minha rotina também.

Nós sempre trocamos ideias sobre como a alimentação contribui (ou não) para que a gente consiga focar no trabalho. Por exemplo, outro dia a Lu conseguiu almoçar só às 16h… Depois disso, trabalhar foi quase impossível para ela.

Comigo, já aconteceu de atender um paciente atrás do outro e não conseguir almoçar ou fazer um lanche (e eu só pensava na  minha fome). Sim, nutricionistas às vezes também têm dificuldade de manter uma rotina alimentar. Hoje procuro ter consciência disso e organizar as consultas com intervalo para eu me alimentar e manter a qualidade dos atendimentos.

Conversando sobre isso, surgiu a ideia desse artigo, com dicas sobre alimentação e produtividade para ninguém precisar se afogar em um balde de café todos os dias. Espero que seja útil para vocês!

Alimentação e produtividade: como melhorar a rotina alimentar?

Para escrever este artigo, listei algumas dicas essenciais para quem quer conciliar um dia a dia atribulado com uma boa alimentação, que garanta energia e disposição para entregar todos os projetos dentro do prazo:

1. Comece pelo café da manhã

Garantir um bom café da manhã para começar o dia com tudo! Tenha sempre ofertas (e ingestão, claro) de frutas e de alimentos fontes de proteínas (ovo mexido/cozido/omelete, pasta de grão de bico, iogurte, oleaginosas, leite na forma de vitamina de fruta ou com café, por exemplo), isso tudo para evitar aquela fome rápida e ter que levantar para comer pouco tempo depois de estar produzindo ou evitar de passar a manhã toda beliscando.

2. Equilíbrio nas refeições principais

Ter uma alimentação equilibrada no almoço e no jantar (salada caprichada, porção adequada de proteínas e de carboidratos) garante energia e produtividade o dia todo.

3. Nada de excessos

Sabe aquele sono depois do almoço? Ele não é normal, é uma reação aos excessos alimentares e às noites mal dormidas. Evitar excessos alimentares é fundamental, principalmente de carnes e de gorduras, pois como a digestão desses alimentos é mais lenta, ficamos com uma sensação de letargia e sono quando “passamos da conta”. E não tem coisa pior do que ter sono no dia em que mais precisamos produzir! Portanto modere! Faça um prato variado e procure não repetir.

4. E o café?

Cafezinho! Embora a recomendação seja individualizada, limite-se a no máximo três xícaras por dia e de preferência não muito tarde. Estamos na era em que ao longo do dia se toma vários cafés para acordar e a noite se toma remédios para dormir, será que isso é saudável? Não! O metabolismo vai ficar um caco velho, principalmente se você fizer isso diariamente!

Tenha rotina com horário para dormir e para acordar, inclusive nos finais de semana. Nosso organismo é muito esperto, mas ainda não tem dispositivo que avise se hoje é segunda ou se é sábado, logo tanto a rotina de sono quanto de alimentação deve ter horários específicos, sempre que possível. Além disso, excesso de café pode causar dor de cabeça, que também não é vantagem em dias produtivos.

5. Não desconte na comida

Não resolva a ansiedade dos prazos para entregar os trabalhos na coitada da comida, porque você terá mais um problema além do prazo:  o excesso de peso a médio ou longo prazo. Conscientize-se na hora que der uma fome conhecida como “fome emocional”. Pergunte-se se realmente precisa de alimento ou se pode esperar. Beba água e faça uma pausa para colocar a mente em ordem. Caso você simpatize, esse é um bom momento para fazer uma meditação de 5 minutinhos.

6. Falando em água…

Beba água! 30ml para cada quilo de peso atual. Deixe aquela garrafinha de 500ml ou 750ml de água gelada do lado do computador e aproveite para alongar o corpo cada vez que esvaziar e já repor água na garrafa.

Não gosta de água? Prepara uma saborizada com lascas de gengibre, acrescenta umas folhas de hortelã, ou canela em pau, cravo, ou rodelas de limão ou de laranja, ou ainda, tome chás de preferência os que não são diuréticos para realmente hidratar o corpo.

7. Como anda seu sono?

Além da nutrição, boas noites de sono são fundamentais para o corpo funcionar em sintonia com a mente. A qualidade do sono fala muito mais alto do que a quantidade de horas dormidas. Estudos mostram que para adultos dormir em média sete horas de sono bem dormidos são suficientes para repor as energias, e, ainda, a qualidade de sono mantém a imunidade em alta.

Prepare o sono já no final da tarde, limite o horário para tomar café e inicie com chás calmantes (camomila, maracujá). Na hora de dormir deixe o ambiente o mais escuro possível, a influência da luz (principalmente celular e televisão) desregula o gatilho para pegar no sono.  Dormir cedo e acordar cedo ajuda muito na produtividade, pela manhã temos menos interrupções com as redes socias, barulhos da rua e pessoas.

8. Todo mundo tem um limite

Última recomendação, mas não menos importante. Reconheça seus limites! Sempre que sentir que não dá conta sozinho, procure ajuda profissional. Essa ajuda pode ser de um colega, para dividir a quantidade de trabalho, ou mesmo de profissionais da área saúde para alinhar a saúde física e mental.

Mais do que tudo: a receita é equilíbrio!

Sintetizando tudo, a palavra é EQUILÍBRIO! Comer na quantidade certa, variedade certa, beber café, chás e água com equilíbrio, dormir suficiente e bem. Equilíbrio é a chave para o bom rendimento e, de maneira geral, boa garantia de saúde. Desejo a você uma vida equilibrada.


Acompanhe mais dicas ou entre em contato através dos meus contatos:

Instagram
Facebook

Referências:

Paech GM, Banks S, Pajcin M, Grant C, Johnson K, Kamimori GH, Vedova CB. Caffeine administration at night during extended wakefulness effectively mitigates performance impairment but not subjective assessments of fatigue and sleepiness. Pharmacol Biochem Behav. 2016; 145:27-32.
Nehlig A. Effects of coffee/caffeine on brain health and disease: What should I tell my patients? Pract. Neurol. 2016 Apr;16(2):89-95.
Barnes CM, Drake CL. Prioritizing Sleep Health: Public Health Policy Recommendations. Perspect. Psychol Sci. 2015 Nov;10(6):733-7.
Max Hirshkowitz; Kaitlyn Whiton; Steven M. Albert et al. National Sleep Foundation’s sleep time duration recommendations: methodology and results summary. Sleep Healthy. Volume 1, Issue 1, March 2015, Pages 40-43
Camila Marques
Camila é nutricionista que atua com nutrição individualizada, descomplicada e com empatia. Após passar por uma especialização, mestrado e doutorado, une a prática dos atendimentos clínicos com uma didática criativa, que permite os pacientes seguirem as orientações de forma mais leve. Trabalha alguns turnos em home office elaborando materiais e desenvolvendo estratégias de atendimento e de comunicação com o paciente. Sabe como ser saudavelmente produtiva e quer dividir um pouco com você.

Comentários

2 Comentários
  1. Avatar
    postado por
    Augusto Costa
    mar 19, 2019

    Muito bom Camila. Boas e saudáveis dicas. Que as fibras alimentares sejam fortes suficientes para frear os ansiosos free lancers.

    • Camila
      postado por
      Camila
      mar 19, 2019

      Obrigada Augusto! Isso ai, alimentação saudável e equilíbrio sempre!! Se quiser mais dicas nutricionais, me acompanha nas redes sociais. =)

Deixe um comentário

Desenvolvido por: