Assinar Newsletter

Receba novidades, artigos e dicas especiais.

A vida real do trabalho remoto com vendas

O trabalho remoto com vendas faz parte da minha vida há mais de três anos. Porém, fazem quase 12 meses que eu terminei de gastar minha vontade de viajar e parei de trabalhar 100% remoto. América Central, Leste Europeu e Nordeste do Brasil foram os principais destinos. Sigo trabalhando 80% do tempo remoto.

Mas agora alugo um apartamento ao invés de buscar um Airbnb novo a cada três meses. Pago academia e parei de assinar o app de exercícios em casa. Compro utensílios para equipar a cozinha ao invés de equipamento de viagem.

Cada vez mais pessoas aprendem que viajar mais do que uma vez por ano não é um sonho tão distante. Gente que também não nasceu em famílias ricas, mas ainda assim quer conhecer o mundo. Existe uma comunidade de gente viajando e trabalhando. Quando eu entrei no mercado, trabalhar remoto ainda era novidade. Hoje em dia já está bem difundido. Ainda assim, em vendas conheci pouca gente. Nesse conteúdo você vai descobrir como é a vida real do trabalho remoto com vendas.

Verdades não ditas (e outras já ditas sobre trabalho remoto)

Profissionais remotos oferecem a oportunidade para as empresas de assimilar pessoas em momentos e projetos de vida em amplitude maior. Tem gente que não pode se mudar, outras pessoas querem passar um tempo viajando, em alguns casos aquele perfil de profissional é necessário apenas algumas horas por semana. E a empresa precisa de gente qualificada, geralmente para ontem.

A possibilidade de aceitar profissionais à distância facilita a formação das equipes. O futuro é remoto, o presente já é remoto. Se bem gerenciado, uma empresa pode ganhar muito com o trabalho remoto.

O problema é que a produtividade cai, principalmente no começo. As maiores dificuldades são disciplina, ambiente de trabalho e relação com a equipe. Disciplina é uma luta constante para não ceder nos momentos de fraqueza. Aquelas pessoas mais sonolentas de manhã ou com dificuldade de voltar do almoço podem se deixar seduzir pela procrastinação.

Mas, mesmo que você tenha disciplina. Não é só sentar na mesa e sair trabalhando. O ambiente precisa ter uma temperatura agradável, ser bem iluminado, sem insetos voando, sol batendo na cara nem família interrompendo. Para quem trabalha em escritório pode parecer estranho, mas esses pontos são essenciais. E, finalmente, só funciona trabalho remoto se a pessoa já executa aquela atividade por algum tempo com fluência. A dica mais segura para quem quer trabalhar remoto e viajar é: primeiro seja profissional e competente em alguma atividade, depois transfira o seu trabalho para o estilo remoto.

Existe uma grande diferença entre quem quer levar o estilo de vida por um pequeno tempo e quem busca manter o trabalho remoto por longo prazo. A principal diferença está no Instagram. Quem está no curto prazo, geralmente viaja bem mais e logo as fotos são um abuso. As pessoas que vivem o estilo de vida com olho em algo mais permanente, costumam ficar mais tempo no lugar, conhecer as culturas em profundidade e se conectar com o estilo de vida local.

A minha experiência trabalhando remoto com vendas

Cada profissional vai viver essa experiência e a transição de um jeito diferente. A minha em resumo foi essa.

Concepção da ideia

Comecei a sentir que não daria tempo de viajar pra todos os lugares que eu queria seguindo uma carreira padrão ainda na faculdade. Me envolvi em organizações estudantis relacionadas a intercâmbio, paguei viagem com bolsa de estágio, economizei comendo no restaurante universitário.

Consegui fazer França, Argentina, Uruguai, US, Alemanha. Mas quando eu comecei a trabalhar no meu primeiro emprego CLT ficou evidente. Bem nessa época começou a chover de gente viajando e trabalhando e eu percebi que era possível. Comecei a desenhar o plano.

Sentindo a temperatura da água

Enquanto eu estava na estrutura tradicional de vendas das 9h às 18h, testava alguns momentos trabalhando remoto. Tirava uma tarde de trabalho, ia para um café. Segurava um dia mais quando ia viajar e trabalhava do hotel. Comecei a ter dificuldades quando a empresa cresceu. Com os embates crescendo e a empresa se transformando de uma startup em uma corporação com regras e restrições – comuns a essa nova realidade – era hora de começar a puxar o barco.

O salto

Encontrei trabalho em uma empresa 100% remota, empacotei os meus pertences e comprei uma passagem Rio-Frankfurt. Essa primeira experiência foi caótica. Primeiro porque fui viajar trabalhando com um amigo que estava de férias. Não foi o ideal.

Segundo porque eu me programei pra ficar pouco tempo em cada cidade. O afã de cobrir território me fez ficar uma semana em cada lugar, e uma semana para quem trabalha e viaja é nada. Eu fiquei exausto e produzi mal, perdi um projeto importante e não entreguei bem.

Terceiro e mais importante: não ter hábito de trabalhar remoto. Me compliquei com fuso, procrastinei entregas básicas, não estudei. Para completar tive algum azar, meu cartão de crédito foi clonado em Heidelberg.

A procura do modelo ideal

Voltei pro Brasil e voltei pra casa. Onde eu tenho rede, amigos e gosto de morar. Foram três meses tentando repensar e ressignificar essa experiência de trabalho remoto.

Conversei com contatos antigos, desenvolvi ideias, voltei a entregar bem. América Central era um sonho antigo de viagem, e funcionou bem melhor. Morei na Costa Rica. Me estabeleci em uma casa e viajei pela região.

O problema é que eu quase quebrei nessa época. América Central é sensacional mas é cara, e trabalhar com tanto lugar incrível para conhecer foi bem desafiador. Principalmente na gestão de energia. Ainda mais tendo 80% da receita comissionada. Todo canto é impressionante.

Viajar remoto pelo Brasil

Por motivos pessoais precisei ficar no Brasil e resolvi viajar por aqui também. Em lugares que pouca gente conhece, ainda menos trabalhando remoto. Fui pra Itacaré, Pipa, João Pessoa, Baía Formosa, São Miguel do Gostoso. Brasil é pouco valorizado em diversos aspectos.

As pessoas acham caro pagar uma passagem para o Nordeste porque não entendem como o lugar é mágico em belezas naturais, gastronomia, cultura, receptividade do povo. Muita gente acha que só vale viajar e trabalhar remoto se for pra Chiang Mai na Tailândia, Berlin ou alguma ilha no Caribe.

Mas o Nordeste é logo ali, tem passagem barata especialmente para quem mora acima do Sul e lugares com beleza de nível mundial. Alguém já ouviu aquela frase “Nordeste, o Caribe brasileiro”? Eu prefiro falar que o Caribe é o Nordeste da América Central.

O modelo ideal

A última viagem foi mais uma vez para o leste europeu. Primeiro tirei uns dias de férias e fui ver o Brasil na Copa do Mundo. Depois escolhi ficar morando em Riga, aluguei um flat na medida certa e finalmente encontrei o modelo.

Morar no mínimo dois meses no lugar, construir uma rede de vários tipos de pessoas, aproveitar o que a cidade pode oferecer de melhor. Ter lugares preferidos e atividades que você gosta de fazer. Mas ir embora antes de cansar da cidade. Aproveitar cada despedida e reencontrar quem fizer sentido no futuro.

Algumas palavras sobre Riga porque quase ninguém conhece. Capital da Letônia, um dos países bálticos do antigo bloco soviético, se tornou um centro de inovação. Tem o melhor aeroporto da região, diversos cafés incríveis, gastronomia de frutos do mar rica, tem praia, fica a uma distância viável da Suécia, Estônia, Rússia, Bielorussia, Lituânia e Polônia.

O que é diferente no trabalho remoto com vendas

Algumas carreiras assimilam o trabalho remoto com mais facilidade – e um pleonasmo necessário, essa é só minha opinião – por exemplo web design, produção de conteúdo e engenharia de software. Não sei se é fácil, mas menos complexo do que vender a distância. Os principais motivos são:

Conectividade

Vender precisa de internet boa sempre 90% do tempo, não tem conversa. Um escritor consegue trabalhar de algum lugar ermo e depois que chegar em casa subir os textos onde precisar. Vendedor é internet boa o tempo todo.

Tranquilidade

O ambiente tem que ser silencioso. Não adianta usar fone, as pessoas do outro lado escutam e isso atrapalha qualquer negociação. Uma web designer consegue usar um fone de ouvido e trabalhar em paz de um lugar mais barulhento. Vendas precisa de silêncio.

Viver de comissões

Vendedor vive de comissão e portanto a incerteza é maior. Mesmo que outras carreiras também trabalhem com freelas e clientes, não é uma incerteza todo mês de quanto vai vir. Você costuma ter alguns contratos por tempo determinado e isso traz alguma segurança a mais.

Você provavelmente começa ganhando menos do que estaria ganhando na sua cidade ou mudando para um grande centro. E a sua carreira muito provavelmente está crescendo mais devagar do que cresceria nas mesmas condições acima. Esse vai ser um fato e um custo inerente a trabalhar e viver remoto.

Motivação

Motivação é um fator essencial para o trabalho remoto com vendas. Novamente, é essencial em qualquer carreira. Mas em vendas tem dias que o seu corpo inteiro treme pedindo por favor para não ligar para aqueles clientes. Mas, dentro da empresa o seu chefe cobra, o colega inspira, outros clientes aparecem e aquele mínimo de motivação aparece. Remoto é você sozinho e não tem pra onde correr.

Como gerenciar uma equipe de vendas remota

Tive algo em torno de 10 anos de carreira em vendas sendo 80% deles liderando equipe. Trabalhar com um time remoto exige alguns cuidados dos quais presencialmente você pode prescindir.

Em primeiro lugar o sistema de métricas precisa ser extremamente rigoroso. Com a equipe do lado, os líderes podem ser um pouco displicentes. E mensurar as coisas ao longo do tempo de formas diferentes. Mas remoto ou você tem uma equipe muito boa ou ela não vai entregar.

Recomendo algum software também para medir esforço em prospecção. Eu testei alguns e no geral recomendo o Reev, porque das opções do mercado eles são o que melhor compõe experiência real de vendas, qualidade de produto e modelo. Mas Meetime, Ramper e Exact Sales também podem funcionar.

Espero que esses insights ajudem quem trabalha na área de vendas e pensa em migrar para o modelo remoto ou está pensando em contratar vendedores remotos. E se tiver alguma dúvida sobre o trabalho remoto com vendas, é só deixar aqui nos comentários!

Dicas de conteúdo para se aprofundar no trabalho remoto com vendas:

*os links da Amazon geram comissionamento para ajudar na manutenção do Vivendo de Freela no ar, sem nenhum custo a mais para você.

Gabriel Lopes
Um dos pioneiros em inside sales no Brasil. Foi o primeiro vendedor da Supersonic CRO - 100% Remoto - e primeiro líder de vendas da Resultados Digitais. Criou o método de vendas das duas empresas e dezenas de outras por meio da Inside Center, consultoria da qual é sócio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desenvolvido por: