Assinar Newsletter

Receba novidades, artigos e dicas especiais.

Como transformei uma viagem em renda extra

Entre março e abril de 2017, eu resolvi aproveitar a liberdade que a vida de freelancer me trouxe para gerir as minhas próprias férias.

Comprei por impulso passagens para Cape Town, na África do Sul, depois de ver que ida e volta estavam custando meros R$ 950.

Isso aconteceu exatamente há dois anos atrás, se você estiver lendo esse artigo perto da data em que foi publicado. De lá pra cá, já produzi muito conteúdo sobre a Cidade do Cabo, um destino que realmente me encantou.

Deixa eu te explicar melhor… Desde que trabalho com Inbound Marketing, sempre tive uma meta pessoal: conseguir monetizar um negócio de conteúdo, começando do zero e investindo o mínimo possível.

Queria ter uma renda extra, aprender novas habilidades na prática, ganhar uns trocados com recorrência e, se tudo desse certo, quem sabe vender um produto digital de forma escalável.

Será que Cape Town poderia ser uma chance de renda extra?

Antes de embarcar, eu pesquisei sobre o destino e percebi que o número de turistas brasileiros por lá, tem aumentado a cada ano.

Além disso, tenho muita afinidade com o tema “viagens’ e em uma pesquisa bem rápida, vi que não tinha ninguém falando especificamente da Cidade do Cabo.

É claro que existem muitos influenciadores digitais indo para lá e compartilhando a sua experiência. Mas se eu falasse SÓ de Cape Town, eu já teria um diferencial em relação a toda a concorrência mapeada.

Decidi apostar na ideia e já viajei pensando em registrar o maior número de informações possíveis para colocar o projeto em prática quando voltasse.

Nesse processo de transformar minha viagem em uma renda extra, separei alguns aprendizados que tive para compartilhar com você.

1. Escolha um nicho para criar autoridade

Quando você define um tema/segmento muito específico, é mais fácil conseguir criar autoridade e gerar mais credibilidade.

Diante da minha escolha, eu sabia que poderia perder volume em número de viajantes, já que só uma porcentagem bem pequena têm Cape Town como destino, mas ao mesmo tempo, sabia que quem procurasse pelo meu perfil teria, no mínimo, a intenção de viajar para lá.

Ou seja: eu conseguiria uma audiência altamente qualificada, o que, na prática e desde o início, acabou resultando em pessoas bem engajadas com os conteúdos que criei.

No meu caso, escolhi utilizar o Instagram e também fiz um site com blog.

Minha maior preocupação era não ser uma “fraude”, já que nunca morei na África do Sul. Por isso, sempre investi muito tempo em pesquisas de conteúdo, conversas com contatos de lá e também passei a acompanhar alguns periódicos da cidade pela internet.

2. Não desista, descanse

Ao longo desse tempo, tiveram fases em que eu estava com uma demanda absurda de trabalho e não conseguia me dedicar em nada para este projeto pessoal.

Também tiveram momentos em que eu me via ansiosa para fazer a chave da monetização virar logo e acabava me desmotivando por não ter resultados imediatos.

Muita gente acaba desistindo quando isso acontece. Mas vou te contar o que funcionava comigo: descansar. Simples assim.

Depois desses meus períodos de pausa, eu voltava mais produtiva do que nunca e conseguia dar mais um passo rumo ao meu objetivo final: ter uma renda extra.

Por isso, se ficar difícil e os resultados não chegarem, pare para descansar ao invés de desistir.

É aquela velha história: devagar e sempre.

3. Trabalhe e vá com a maré

No início, eu pensei que as melhores formas de monetizar esse projeto seriam por meio de links de afiliados e vendendo roteiros.

Mas é impossível prever tudo e você pode se surpreender com boas surpresas ao longo do caminho.

Eu, por exemplo, acabei conhecendo duas guias brasileiras que moram em Cape Town e transformei a indicação de passeios (privados ou não) em minha principal fonte de receita.

Basicamente, meu trabalho é gerar leads qualificados e aí, ganho entre 10% e 20% de comissão nas vendas que são fechadas por elas.

O que quero dizer é que, durante o caminho, você acaba descobrindo novas maneiras de potencializar o negócio. Mas para isso, é preciso começar!

4. Aprenda, aprenda e aprenda

Eu sou formada em Jornalismo mas sempre trabalhei com marketing digital. Digamos que eu sou uma curiosa da área e uma das premissas que tinha nesse projeto era aprender fazendo.

Eu não sabia fazer sites pelo WordPress, aprendi.
Eu não sabia usar o Mautic para fazer fluxos de automação, aprendi.
Eu só sabia o básico de SEO e de AdWords, estou aprendendo.

E sabe como?
Vendo vídeos no Youtube e conversando com pessoas próximas que são boas nos tópicos que eu precisava saber mais.

Ou seja: soluções que exigem o investimento de zero reais e estão disponíveis para quem quiser.

5. Constância é o fator chave

Sim, eu já pensei em deixar esse projeto de lado algumas vezes. Mas ao longo do tempo, vi que só a constância me traria a autoridade necessária para conseguir monetizar esse (ou qualquer outro) negócio digital.

Meu objetivo de me desafiar a ter uma renda extra, começando um projeto de conteúdo do zero foi o suficiente para me manter produzindo uma coisa ou outra, mesmo que em um volume baixo dependendo da época.

Tenha em mente qual é a sua meta e saiba que os resultados não são tão imediatos quanto a gente gostaria.

Acho que eu, por exemplo, só ganhei os meus primeiros reais como afiliada mais ou menos 6 meses depois de ter colocado tudo no ar.

As minhas principais formas de renda extra com O Que Fazer em Cape Town

Para você que está pensando em ter uma renda extra, algumas maneiras que encontrei dentro do meu projeto foram:

Links de Afiliados: atualmente, tenho cadastro nos sites Seguros Promo, Booking, Rental Cars e Airbnb. Por meio dos links que disponibilizo em artigos ou postagens, consigo garantir uma recorrência mensal.

Infoproduto: cada vez mais, acredito que as pessoas querem conveniência e comodidade. Elas estão dispostas a pagar por conteúdos que ofereçam isso. Depois de testar um Roteiro Completo de 7 Dias de Cape Town com umas 150 pessoas de maneira gratuita, decidi começar a comercializá-lo. As vendas estão começando a alavancar, mas já confirmei a minha hipótese: existe mercado para esse tipo de infoproduto sim.

Comissionamento por passeios: aproximadamente 70% da receita que ganho com o projeto hoje vem da comissão que recebo dos passeios, algo que não iria imaginar lá no começo.

E você? Também tem um negócio digital que te garante uma renda extra todos os meses? Conta pra gente nos comentários 🙂

Leticia Moares
É formada em jornalismo mas sempre gostou mesmo de marketing. Ama viver de freela para ser dona do seu tempo e é viciada em viagens, séries e pelo comportamento humano.

Comentários

1 Comentário
  1. Avatar
    postado por
    Fotografo na Itália
    abr 4, 2019

    ITALIA – eu também comecei um projeto para dar visibilidade, mas também vi a jornada mudar alem dos meus planos iniciais. Estava também nesse momento de pensar em desisitir, mas gostei da visao de “descançar”. Faz muito sentido.
    Obrigado por compartilhar.

Deixe um comentário

Desenvolvido por: