Como conseguir clientes como freela? Dicas para quem está começando!

conseguir clientes como freela - a imagem mostra um homem jovem trabalhando em frente a um computador, em um ambiente descontraído. Ele é negro, usa uma camisa azul sorri,

Quando falamos em trabalho freelancer ou freela, há um questionamento muito comum entre os profissionais que optaram por prestar serviços de forma autônoma: como conseguir clientes como freela?

Este também é um desafio para você? Então acredito que este artigo irá ajudar em seus primeiros passos. 🙂

Conseguir clientes como freela: o caminho que eu segui

Em 2016, quando eu iniciei nessa vida de freelancer, essa também foi a minha principal preocupação. Pensando nisso, resolvi compartilhar com vocês algumas dicas que considero importantes para quem está querendo encarar esse desafio de conseguir clientes como freela. 

1. Crie um portfólio

O portfólio é uma ferramenta importantíssima, e que funciona como uma vitrine para o profissional. Com ele é possível demonstrar habilidades, qualificações e principalmente as sua experiências na área.

Se bem estruturado e organizado, o portfólio poderá te ajudar a conquistar boas oportunidades. E não é preciso ser um super designer gráfico para conseguir fazer um portfólio atraente para o seu cliente potencial. 

Você pode criar uma apresentação em pdf utilizando formatos prontos do Canva, ou recorrer a plataformas online como o Behance e o Contently, por exemplo. Mas, lembre-se que o material deve ser simples, atraente e de fácil entendimento.

Eu trabalho com planejamento de marketing, produção de conteúdo, gerenciamento de redes sociais e mídia online, testei algumas plataformas e para mim o Contently funcionou melhor. Se quiser acessar meu portfólio para se inspirar é só clicar aqui.

2. Formalize a sua atividade profissional 

O cadastro no MEI, sigla que significa Microempreendedor Individual é o que garante a formalização da sua atividade profissional. Esse cadastro permite que você emita notas fiscais pelos trabalhos realizados

Ter um CNPJ é um dos requisitos mínimos para que você tenha acesso a novas oportunidades. Pois, muitas empresas e plataformas de freelancers não contratam profissionais que não emitem notas fiscais.

Quem se formaliza, você também tem direito a alguns benefícios que são oferecidos pelo INSS. Benefícios como a aposentadoria por idade, auxílio doença, auxílio maternidade dentre outros. 

Para fazer o seu cadastro indico que você se informe no Portal do Empreendedor, e fale com um contador especializado neste tipo de empresa. Ah, e após a formalização é preciso ficar atento ao limite de faturamento para não ultrapassar esse teto e ser desenquadrado da categoria de MEI – precisando evoluir para ME. 

3. Cadastre-se em plataformas de freelancers 

Existem várias plataformas online nacionais e internacionais com oportunidades para profissionais de diversas áreas. E, apesar de os preços praticados serem normalmente muito baixos, pelo menos no início da sua jornada, essa é uma das formas de conseguir clientes como freela e construir um portfólio para ir atrás de novos projetos por conta própria.

Isso, é claro, se você não tiver conseguido os primeiros projetos a partir de indicações de suas redes de contatos – como familiares, amigos e ex-colegas.

Alguns exemplos de plataformas são 99freelas, Trampos.co, Workana. Conheça bem as particularidades de cada site de freelas para entender se faz sentido anunciar ou buscar oportunidades em alguma delas.

Você também pode divulgar o seu trabalho aqui no Vivendo de Freela. É só clicar na seção contratar freelancer e se cadastrar para receber informações. A comunicação é realizada diretamente com os clientes e sem qualquer intermediação na negociação

4. Seja ativo nas redes sociais

Organize o seu tempo para produzir conteúdo nas redes sociais e mostrar o seu trabalho como freelancer. Esse universo online permite chegar cada vez mais longe, e consequentemente alcançar potenciais clientes.

Eu indico experimentar todas as redes, e focar naquela que mais funciona para o seu negócio. No meu caso, o LinkedIn é uma ferramenta essencial e que me ajuda a conseguir tanto parcerias quanto clientes. 

Independente da rede social que você escolher, é importante deixar o seu perfil otimizado e sempre atualizado. Além de, ter um bom planejamento de conteúdo para se posicionar com autoridade naquele assunto que você domina.

5. Faça networking

É bem provável que os seus primeiros clientes cheguem por indicação de colegas, amigos, familiares ou de pessoas com quem você já trabalhou. Pelo menos foi assim que aconteceu comigo. 

Aproveite os seus contatos para deixar as portas abertas e divulgar o seu portfólio. Outra forma de fazer networking é participar de eventos que são relevantes para você e para os seus potenciais clientes. 

Em tempos como o que estamos vivendo, os eventos presenciais estão suspensos. Mas, você pode continuar marcando presença nos eventos online, em fóruns, e nos grupos de Facebook ou do LinkedIn. 

>> Leia mais sobre Networking para Freelancers

6. Se atualize

Fazer cursos e se manter atualizado não só possibilita aumentar a sua rede de contatos, como também ajuda a aperfeiçoar suas competências. Dessa forma, é possível se diferenciar em um mercado que está cada vez mais competitivo.

Faz toda diferença aquele profissional que está atento às novidades e tendências de mercado, e que busca se desenvolver. Lembre-se que, ser freelancer também exige muita dedicação e profissionalismo. 

A única coisa impossível é aquela que você não tenta!

No começo da minha jornada eu tive muito medo. Mas, atuar como freelancer abriu a minha visão para um universo de possibilidades que antes eu não conseguia enxergar. Em alguns momentos essa função ajudou a complementar a minha renda, e em outros ela se tornou a minha atividade principal.

Se você quer atuar como freelancer, mas ainda está com medo de não conseguir ter clientes, dê o primeiro passo e comece com medo mesmo. Leia sobre o assunto e converse com outras pessoas que também atuam nesse formato. Eu tenho certeza que isso vai te ajudar, e muito. 

Mas, se você ainda não está totalmente seguro, o Vivendo de Freela tem um curso online chamado Vendendo seu Freela, que é focado nas maiores dores de quem está iniciando: precificação e captação de projetos e clientes. 

Eu já fui aluna desse curso, e indico de olhos fechados. É um treinamento ao vivo pelo Zoom, dividido em dois módulos, com dicas práticas de como conquistar clientes e projetos de forma contínua. 

Se você quiser participar da próxima turma, é só preencher o formulário abaixo para entrar na lista de espera.

Faça o curso, e depois venha aqui me contar o que achou. Vou adorar saber!

Suzane Braga

Suzane Braga

Administradora e Especialista em Mídias Interativas, com mais de dez anos atuando na área de Comunicação e Marketing. Experiência com Planejamento Estratégico de Marketing, Gerenciamento de Mídias Digitais e Campanhas Digitais no Google Ads, Facebook Ads e Instragam Ads. Como Redatora Freelancer, escreve sobre Moda, Beleza, Empreendedorismo, Marketing Digital, Saúde, Bem-estar, Tecnologia, dentre outros assuntos.
Suzane Braga

Suzane Braga

Administradora e Especialista em Mídias Interativas, com mais de dez anos atuando na área de Comunicação e Marketing. Experiência com Planejamento Estratégico de Marketing, Gerenciamento de Mídias Digitais e Campanhas Digitais no Google Ads, Facebook Ads e Instragam Ads. Como Redatora Freelancer, escreve sobre Moda, Beleza, Empreendedorismo, Marketing Digital, Saúde, Bem-estar, Tecnologia, dentre outros assuntos.

COMPARTILHE ESTE POST

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

VEJA TAMBÉM