Assinar Newsletter

Receba novidades, artigos e dicas especiais.

6 regras para ser mais feliz como freelancer

Quando se trata de ser um freelancer e uma pessoa feliz, eu mais ou menos sei o que eu preciso fazer. Até tenho 6 regras que irei compartilhar com você logo mais.

 

Dito isso, saber o que é preciso para ser feliz como freelancer e ser feliz são coisas diferentes: falhei comigo mesmo, com os outros e com as minhas melhores intenções mais do que gostaria de mencionar. Mas aceitar a bagunça e as lutas constantes da vida criativa é parte do que é preciso para ser feliz.

 

Por isso, mantenho estas 6 regras no app Evernote no meu smartphone, para que eu possa lê-las a qualquer hora, em qualquer lugar. Quando estou ansioso ou com medo, abro meu aplicativo e leio. Estas 6 regras me lembram o que é importante na vida e me conectam aos meus melhores anjos. Na verdade, essas “regras” podem ser chamadas de “lembretes” e espero que elas também ajudem você:

 

1. Ouça mais e melhor, o que é dito e o que não é dito.

 

E ouça não apenas para ouvir ou reconhecer, mas para entender e se conectar emocionalmente. Observe a si mesmo e aos outros com cuidado, à distância, se possível. Pegue o mundo e entenda que você desempenha um papel neste mundo, mas não o papel central. Ofereça espaço para outros e inclua-os. Trabalhe para desenvolver mais paciência, porque você precisará dela com algumas pessoas, pelo menos até que você as entenda melhor (e talvez elas também entendam melhor você).

 

2. Expresse preocupações quando necessário.

 

Não se sente em silêncio e aceite o que o mundo lhe oferece, mas valorize a si mesmo o suficiente para ser um defensor do que irá sustentá-lo, criativamente, financeiramente, nos relacionamentos e em todos os outros aspectos.

 

Você pode pedir ajuda. Você pode pedir mais. Se você sente em seu íntimo que algo está errado, provavelmente está. Fale. Advogue. Levante os problemas. Isso é verdade para mim tanto como freelancer quanto na maneira como eu colaboro com outras pessoas durante o processo criativo. Eu importo. Meu trabalho é importante. Use sua voz, mas escute os outros usarem a deles.

 

3. Seja mais social.

 

Costumo ser socialmente ansioso, como muitos escritores, muitas vezes quero me afastar de situações sociais. Tente não fazer isso, se puder. Eu preciso trabalhar com intenção e consciência para construir uma comunidade ao meu redor. Convide as pessoas para o almoço. Mostre apreço pela força e cuidado dos outros. Confie. Compartilhe. Ouça.

 

Reconheça os buracos sociais e pessoais e force-se a sair deles. Ande com os outros. Tenha empatia. Explore lugares estranhos. Sente-se na parte de trás e na frente do ônibus. Dirija de vez em quando. Acima de tudo, saia da casa, porque há um grande mundo lá fora e você precisa habitá-lo, ver e ser visto. Não seja o freelancer solitário. Desta forma, você cresce criativamente e se junta a outras pessoas na sua comunidade.

 

4. Aceite dias ruins.

 

Você (e os outros) tem o direito de ter um dia ruim. Para ficar triste, até mesmo deprimido. Para ocasionalmente cantar blues. Você é tão vulnerável quanto qualquer um nesse desafio emocional que nunca acaba e chamamos de vida criativa. É difícil ser criativo e viver a vida criativa. Como escreveu o dramaturgo irlandês ganhador do Nobel Samuel Beckett: “Eu não posso continuar. Eu continuarei.” Exatamente.

 

Valorize a positividade, mas não afaste a tristeza quando ela vier. As coisas acontecem, mas a resiliência pode ser construída, fortalecida. Lembre-se das regras 1, 2 e 3 – que procurar os outros pode ajudar, embora a reflexão silenciosa também possa.

 

5. Monitore e valorize sua saúde física.

 

Seja ativo e tente manter uma boa alimentação. Se você puder, reduza açúcar, refrigerante, chocolate (sim, chocolate!) e alimentos processados ​​em geral. Prefira frutas e vegetais a alimentos “falsos”. Coma comida de verdade. Não muito. Saia, ande e corra. Coloque sua música favorita e dance de vez em quando. Se você está se sentindo mal, visite seu médico. Faça um check-up. Se você tem melhor saúde física e mais energia, sua mente também funciona melhor, o que ajuda a criar melhor.

 

6. Persiga paixões.

 

Você é mais criativo quando seu coração e sua cabeça estão engajados no que você está fazendo. Para ser criativo, siga suas paixões e curiosidades. Os lugares a que eles levam, assustadores, alegres e tudo o que há no meio disso, se tornarão sua identidade como uma pessoa criativa.

 

Todas as pessoas buscam um senso de propósito para impulsioná-las, mas só conseguem encontrá-lo tocando em seus “eus” mais profundos, depois buscando lugar no mundo. É isso que a criatividade é, um ato profundamente esperançoso e único, algo que só você pode trazer para o mundo. Siga suas paixões para impulsionar sua expressão criativa.

 

Post originalmente publicado no blog Freelancers Union, traduzido e adaptado com autorização do autor, Chuck Leddy.

Autor Convidado
Autores incríveis que compartilham seu conteúdo com o Vivendo de Freela. Uma seleção feita com o coração!

Deixe um comentário

Desenvolvido por: