Como se tornar redator freelancer?

redator freelancer

Quando me formei na faculdade de jornalismo, lá em 2010, nem imaginava que um dia seria redatora freelancer. As perspectivas para exercer a profissão não eram as melhores naquela época: o piso salarial no Rio Grande do Sul ficava em torno de R$ 1,8 mil, as assessorias de imprensa não pagavam muito melhor e a discussão sobre a obrigatoriedade do diploma estava no auge.

 

Para quem quer trabalhar em veículo de comunicação ou em assessoria, o cenário não ficou melhor. Pelo contrário, nos últimos anos tivemos demissões em massa e fechamento de jornais e revistas importantes, além de muitas empresas dispensando suas agências. Enquanto isso, as faculdades de jornalismo continuam recebendo novos alunos, mesmo algumas tendo mensalidades acima de R$ 2 mil.

 

Felizmente, assim como eu descobri na prática, existe mercado para os profissionais que acreditam que marketing e produção de conteúdo de qualidade podem andar juntos. Apesar de ainda não serem tantas vagas para trabalhar dentro das empresas com Marketing de Conteúdo, as oportunidades para atuar como redator freelancer são muitas, especialmente para quem tiver conhecimentos sobre estratégia de Inbound Marketing.

 

Nesse post, vou dar algumas dicas sobre como investir na carreira de redator freelancer, mesmo para quem ainda está na faculdade.

 

Como se tornar um redator freelancer

 

Apesar de eu falar neste artigo sobre o mercado profissional para jornalistas, para se tornar redator freelancer, na maioria dos casos, não existem requisitos em relação à formação. Já tive contato com redatores de conteúdo com graduação em Publicidade, Relações Públicas, Letras e até Engenharia. Basta ter um ótimo texto, conhecimentos sobre SEO e estrutura do conteúdo digital e correr atrás de atualização.

 

Veja abaixo os principais passos para se tornar um redator freelancer:

 

1.Tenha uma certificação em Inbound Marketing

 

Tendo em vista que a maioria das oportunidades para redator freelancer hoje fazem parte da estratégia de Inbound Marketing de alguma empresa, você precisará conhecer melhor sobre o assunto. Este, entretanto, provavelmente não é um tema que você tenha aprendido na faculdade –  a não ser que ainda esteja cursando a graduação em uma universidade com currículo atualizado recentemente. 

 

O lado bom é que empresas que são referências no assunto no Brasil e no mundo oferecem certificações gratuitas em Inbound Marketing. O conteúdo delas é bastante abrangente, suprindo o que é oferecido em boa parte dos cursos pagos que existem sobre o tema.

 

  • Certificação da Hubspot – São 12 aulas divididas em 4,5 horas de vídeo, agora com tradução para o português. A certificação está disponível neste link.
  • Certificação da Rock Content – Na certificação da Rock Content você assiste a 10 aulas, com 3 horas de duração no total. Mesmo que tenha feito a da Hubspot, vale a pena pelos exemplos nacionais.

 

Depois de fazer suas certificações, não deixe de incluir em seu perfil do LinkedIn. Muitas empresas buscam freelancers e colaboradores utilizando essas formações como palavra-chave.

 

2. Acompanhe formadores de opinião

 

Para manter-se atualizado sobre temas relevantes para um redator freelancer, acompanhe os principais profissionais e empresas que falam sobre Marketing de Conteúdo, Inbound Marketing, SEO, entre outros. Não deixe de assinar as newsletters, assim você recebe os principais conteúdos em sua caixa de e-mail. E nada de ignorá-las! Reserve pelo menos 2 horas por semana para colocar a leitura em dia.

 

Alguns canais de conteúdo que eu recomendo:

 

 

Tem mais alguma sugestão? Deixe nos comentários para que eu inclua no post 😉

 

3. Comece a escrever

 

Antes de começar a oferecer seu serviço como redator freelancer, você irá precisar ter um pouco de prática. Afinal, escrever conteúdo digital não é o mesmo que escrever matérias para jornal ou press-releases. Para isso, vale redigir conteúdos para empresas fictícias apenas como exercício, reproduzir com suas ideias temas de posts de outros autores e voluntariar-se como colaborador de algum canal de conteúdo que acompanhe.

 

Eu comecei a escrever para internet como redatora de um site de cinema, de forma totalmente voluntária. Ter um editor avaliando meus textos serviu de aprendizado para os trabalhos que consegui depois. Apenas evite fazer serviço de graça para empresas que poderiam de fato contratá-lo – infelizmente existem várias tentando conseguir conteúdo gratuitamente.

 

4. Faça parte de uma plataforma de redatores

 

Uma boa forma de conseguir os primeiros freelas e também de aprender sobre conteúdo digital é tornar-se redator de plataformas como a Rock Content e a Contentools. Elas possuem clientes das mais diversas áreas e também oferecem bastante suporte em aprendizado para o redator. O valor pago por cada texto varia de acordo com o número de palavras ou o acordado com o cliente e, apesar de não ser muito alto, é bem maior do que se você tentar encontrar freelas em plataformas como 99freelas ou Workana.

 

5. Crie um portfólio e conquiste novos clientes

 

Tendo colaborado para sites e feitos freelas por meio de plataformas, você terá as primeiras amostras de conteúdo para criar seu portfólio. Desta forma, conseguirá ir atrás de seus próprios clientes, negociando preço, volume de produção e prazo de entrega conforme ficar melhor para você.

 

Para quem quer se consolidar como redator de conteúdo freelancer, essa é justamente minha maior recomendação: ganhar experiência em projetos menores e sites de freelas para depois correr atrás dos próprios clientes e construir uma excelente marca pessoal nesse sentido!

 

Não deixe de escolher os temas sobre os quais irá escrever, pois deverá ser especialista neles. Áreas como tecnologia, finanças, saúde, turismo e marketing digital são algumas das que possuem bastante demanda de redatores. Com o tempo, você irá perceber que escrever sobre tudo e para todos os tipos de clientes pode prejudicar muito a sua produtividade. Não se esqueça, também, de definir os valores para seus serviços em cada formato de conteúdo.

 

6. Organize sua rotina

 

Quando começar a ter maior volume de clientes e jobs, será necessário organizar sua rotina – especialmente se possui também um emprego fixo. Não deixe de usar ferramentas para ajudá-lo a ser mais produtivo e calcule quanto tempo demora em média para executar cada tarefa. O redator freelancer ganha por texto aprovado, ou seja, cada minuto desperdiçado pode significar dinheiro perdido!


Quem é o redator de conteúdo freelancer que o mercado procura?

 

Para completar as dicas desse post, vale lembrar que, como redator de conteúdo freelancer, você precisa também se adequar ao que o mercado procura. Você sabe o que realmente seus clientes esperam ao contratar seus serviços? Gravei um vídeo sobre esse tema que pode ajudá-lo nesta percepção!

 

Por que apostar na carreira como redator freelancer?

Enquanto as redações de jornais ficam cada vez mais enxutas, as oportunidades como redator de conteúdo digital não param de crescer. A Rock Content fez uma pesquisa em 2015 que apontou que 69% das empresas brasileiras já trabalham com estratégia de Marketing de Conteúdo  – e esse número deve aumentar ainda mais com a adoção e validação de estratégias de Inbound Marketing.

 

Vale lembrar que, como em toda estratégia que começa a ser utilizada rapidamente, existem muitas pessoas experimentando e não necessariamente seguindo as melhores práticas para ter resultados. São muitas as empresas produzindo conteúdos pouco aprofundados, construindo base de contatos desalinhada de sua persona e apostando em modelos pouco customizados ao seu setor de atuação.

 

Esse é o cenário perfeito para bons profissionais se destacarem, colocando o resultado acima do volume de conteúdo a ser produzido e propondo ações que realmente façam a diferença para que o cliente atinja seus objetivos. Se você quer seguir esse caminho como redator freelancer, certamente terá sucesso na carreira, mesmo com a competição aumentando!


Você tem alguma dúvida sobre a carreira como redator freelancer? Escreva nos comentários deste post!


Lembrando que estamos também no nosso canal no YouTube, com vídeos novinhos sobre a vida de freela. Assina lá para não perder nenhum conteúdo. Também marcamos presença no Facebook, Instagram e LinkedIn. Nesses canais, compartilhamos muitas dicas para ter mais sucesso como freelancer e também para aproveitar todos os benefícios da carreira independente. É claro, também respondemos dúvidas. Só deixar elas aqui nos comentários do post 😃 

Luciane Costa

Luciane Costa

Formada em jornalismo e apaixonada por conteúdo digital. Virou freelancer porque precisava de uma grana extra e acabou descobrindo que adora trabalhar assim. Gaúcha e morando em São Paulo, é viciada em séries de detetives e adora cozinhar.
Luciane Costa

Luciane Costa

Formada em jornalismo e apaixonada por conteúdo digital. Virou freelancer porque precisava de uma grana extra e acabou descobrindo que adora trabalhar assim. Gaúcha e morando em São Paulo, é viciada em séries de detetives e adora cozinhar.

COMPARTILHE ESTE POST

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

48 respostas

  1. Eu me formei em biblioteconomia e gestão de unidades de informação. Mas não consegui emprego na area de jeito nenhum. Pensei em me tornar redatora, já que ganhei alguns concursos de redução antes e sempre escrevi muito bem. Estou fazendo cursos de google ads, remarketing, youtube ad, redator racker e seo, todos com certificado. Acho que seria possível eu me tornar uma redatora freelancer?

  2. Olá boa tarde! Sou graduada em Assistente Social com pós graduação, achei interessante sua plataforma, vou me dedicar para trabalhar como freelance de redator. Obrigado pela dica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

VEJA TAMBÉM