Assinar Newsletter

Receba novidades, artigos e dicas especiais.

Como ser freelancer na crise?

Virar freelancer na crise é loucura? Até pode ser, mas foi a decisão que tomei para a minha carreira no início desse ano, em meio a todas as incertezas políticas e econômicas pelos quais o Brasil estava (e ainda está) passando. Claro, não foi uma escolha feita de forma totalmente objetiva, muito menos planejada. Teve bastante emoção e um pouco de sorte no meio da história.

Decidi sair do meu emprego para buscar um trabalho que tivesse mais significado para mim. A ideia inicial era encontrar outra oportunidade “convencional”, mas depois de algumas entrevistas e processos seletivos bizarros (vale outro post em breve), vi que não era esse o caminho que traria realização para mim.

No meio disso tudo, continuei com os freelas que já fazia como bico antes. E foram surgindo novos clientes, novos jobs… Quando me dei conta estava apaixonada por um modelo de profissão (e de vida) com mais autonomia, muitas possibilidades para criar e, é claro, cheio de propósito para mim.

luciane costa
Esses dias pediram para eu mostrar meu home office… sinto pela decepção, é apenas minha varanda com muitos post its colados na parede. 😛

Mas claro, nessa jornada precisei aprender novas habilidades e encarar algumas dificuldades que qualquer profissional que decide atuar como freelancer full time acaba enfrentando: conquistar clientes, produzir mais, manter as finanças em dia… Neste post vou compartilhar algumas soluções que encontrei para ter bons resultados, mesmo com a economia não muito favorável. Boa leitura 🙂

Minhas dicas para ser freelancer na crise – e ter sucesso assim!

Antes de dar dicas para ter sucesso como freelancer na crise, preciso confessar: na verdade ela pode ser muito favorável para nós. O fato é que as empresas estão vendo mais valor em contratar serviços de profissionais autônomos no lugar de manter equipes inchadas e caras (especialmente para áreas consideradas suporte, como Marketing e Comunicação).

Ruim para quem precisa de emprego formal, infelizmente, mas uma oportunidade a ser explorada pelos freelancers. Para isso, entretanto, ainda é preciso mostrar um excelente trabalho e comprovar o retorno para o investimento dos clientes.

Veja algumas dicas para ter bons resultados como freelancer na crise:

1.Tenha um serviço único

Para conquistar clientes e conseguir receber um valor justo por seu trabalho você não pode ser mais um redator de conteúdo, mais um designer, mais um desenvolvedor… Você precisa oferecer uma solução única e especializada para o mercado.

Por exemplo, se trabalhar com conteúdo, você pode se especializar em temas específicos; se for fotógrafo, em tipos de registro (evento, book, publicidade), e assim vai. O lado bom de trabalhar com clientes com necessidades e públicos semelhantes é que você consegue entregar um serviço diferenciado e, ao mesmo tempo, não precisa entender um pouco de tudo – e é realmente só um pouco que vai conseguir entender se tiver clientes com atuações totalmente diferentes.

No início é normal pegar todo o tipo de serviço, mas, com o tempo, vale a pena ir construindo uma base de clientes que esteja dentro de algum foco que você definir.

2. Crie sua marca pessoal e divulgue suas habilidades

Você tem uma boa marca pessoal? Uma imagem que mostre como é profissionalmente e quais são suas especialidades? Como se fosse uma empresa, você precisa construir sua marca, utilizando diferentes estratégias para isso.

Use redes sociais como LinkedIn, participe de eventos e cursos em sua área, faça networking, converse com profissionais semelhantes e crie um bom portfólio. O mais importante é não ter medo de se mostrar e de expressar sua opinião. As empresas querem contratar freelancers que são verdadeiros especialistas em suas áreas de atuação, prove que é essa pessoa!

3. Encontre clientes, não seja apenas encontrado

Não pense que vai conseguir se sustentar se buscar clientes apenas em plataformas de freelas (como 99freelas ou Workana) ou, pior ainda, se ficar sentado no sofá esperando os jobs aparecerem. Tenha a atitude de um vendedor de verdade – por mais que odeie passar por essa parte do trabalho como freelancer…

Mas onde encontrar esses clientes? Se você já definiu seu segmento foco para atuação, já tem meio caminho andado, basta encontrar as empresas que atuam neste setor. Conheça também empresas e profissionais que concorrem com você: os concorrentes dos clientes deles podem ser os seus clientes.

Sim, você não vai conseguir fugir de vender, vai precisar prospectar, abordar, negociar e fazer follow up. Para ficar mais fácil, tenha um portfólio legal, que seja um verdadeiro material de vendas, e mostre, além dos trabalhos que já fez, sua proposta de valor e os resultados que pode entregar.

4. Entregue excelência

Quando trabalhava em empresa, tive alguns problemas ao contratar freelancers, principalmente com qualidade e prazo de entrega. Depois, quando comecei a ter mais clientes, recebi como feedback de muitos deles que fazia um excelente trabalho – simplesmente porque concluía os jobs em dia.

Sim, da mesma forma que existem muitos freelas bons no mercado, muitos levam a atividade como um bico. Procure se diferenciar dos últimos, entregando sempre seus serviços dentro do prazo combinado, mas também colocando muita qualidade no que faz.

Já ouviu falar em overdelivering? É o que o Uber faz ao oferecer balas, água mineral e sua música preferida durante um trajeto de carro. Como você pode ter overdelivering no atendimento aos seus clientes?

5. Tenha uma ótima gestão financeira

Ah, o dinheiro! Passamos o mês inteiro correndo atrás dele… Aí quando os clientes nos pagam, gastamos tudo rapidinho. Quem se identifica?

Sim, gestão financeira não costuma ser uma habilidade de quem trabalha com comunicação (meu caso!), mas é fundamental para um freelancer. Quanto a isso, vale dar dicas bem específicas:

  • Defina prazos de pagamentos com seus clientes próximos aos vencimentos de suas contas, nunca depois;
  • Tenha um controle financeiro de todos os ganhos e gastos, pode ser em um excel, um caderno de papel ou em um aplicativo;
  • Mantenha pelo menos 6 meses de reserva financeira, preferencialmente aplicados em uma opção com rendimento acima da inflação, mas com possibilidade de retirada a curto prazo;
  • Faça planos para seus investimentos (troca de notebook, participação em cursos, etc).

Alguns pontos são um pouco difíceis de organizar no início, mas são esses comportamentos que garantem sua “estabilidade financeira”, já que sendo freelancer full time você não tem benefícios como seguro desemprego, por exemplo.

Lembre-se que em períodos como final de ano e Carnaval, todos seus clientes parecem resolver entrar em recesso e pausar os jobs… E você não pode ficar sem dinheiro nessas épocas!

6. Produza, produza, produza

A sua produtividade é o que determina quanto irá ganhar no final do mês, isso deve ser claro em seu dia a dia de trabalho. Por isso, você precisa aprender a tirar o melhor proveito do seu tempo. Além de usar ferramentas de produtividade e técnicas como Pomodoro, recomendo que busque um estilo de vida produtivo!

Tenho horários definidos para trabalhar, um home office bem organizado e gaste sua energia em outras atividades também, assim, quando sentar para produzir, o resultado pode ser muito melhor.

7. Veja-se como uma empresa

Por último, é preciso maturidade para se ver como uma empresa. Para tal, formalize-se (virar MEI é fácil e barato), atenda seus clientes de forma profissional, use contratos para se proteger, emita notas fiscais pelos seus serviços e mantenha a gestão de todas as suas “áreas organizacionais”.

Sim, isso significa que terá que ser um pouco departamento financeiro, um pouco RH, um pouco Marketing e um pouco comercial, além de entregar seus trabalhos todos em dia (Ufa!)


Para ajudar você a ter a gestão de uma empresa, recomendo a utilização dos materiais do Freelancer Doc Box: modelo de contrato, planilha para controle de caixa e vários outros documentos que salvam a vida! <3


Que tipo de freelancer você vai ser na crise?

Neste artigo dei algumas dicas para ter sucesso como freelancer em tempos de crise. São aprendizados pelos quais passei na prática, por isso é importante que você os adapte e encontre seus próprios caminhos também, de acordo com o que faz sentido para sua área, seus objetivos e seu modo de vida.

Vale lembrar, ainda, que a definição de sucesso é única e diferente para cada um – para mim, por exemplo, tem a ver com conseguir pagar as contas e poder fazer minha rotina do meu jeito, com tempo para projetos como o Vivendo de Freela. 🙂

O importante é saber que, independente de como for o sucesso no qual quer chegar, você tem que fazer pelo menos um pouquinho a mais do que pensa que pode a cada dia. Você precisa se destacar pelos seus talentos, pelas suas paixões e pela forma como se relaciona com o mundo! Fazendo isso, tenho certeza de que as oportunidades começarão a chegar até você.


Você também tem dicas para ter sucesso como freelancer em momentos de crise? Compartilhe com os outros freelas comentando aqui!


Lembrando que estamos também no nosso canal no YouTube, com vídeos novinhos sobre a vida de freela. Assina lá para não perder nenhum conteúdo. Também marcamos presença no Facebook, Instagram e LinkedIn. Nesses canais, compartilhamos muitas dicas para ter mais sucesso como freelancer e também para aproveitar todos os benefícios da carreira independente. É claro, também respondemos dúvidas. Só deixar elas aqui nos comentários do post 😃 

Luciane Costa
Formada em jornalismo e apaixonada por conteúdo digital. Virou freelancer porque precisava de uma grana extra e acabou descobrindo que adora trabalhar assim. Gaúcha e morando em São Paulo, ela é viciada em séries de detetives e adora cozinhar.

Comentários

4 Comentários
  1. postado por
    Renato Moreno de Jesus
    nov 10, 2016 Reply

    Olá Luciane, bom dia.
    Li sua matéria e me identifiquei muito com ela, sou Designer Gráfico, e perdi meu emprego conheço toda parte de criação de material gráfico, estou cadastrado em gráficas virtuais que já realizei alguns trabalhos como free, o meu grande problema é vender a verdade que tenho medo de entrar em estabelecimentos para oferecer meus serviços, poderia me dar uma dica por favor? obs.: Parabéns pela iniciativa onde o mundo esta muito individualista……

    • Luciane Costa
      postado por
      Luciane Costa
      nov 10, 2016 Reply

      Oi, Renato! Obrigada pelo seu comentário 🙂
      Sobre essa parte de fazer uma venda ativa, é realmente uma dificuldade… outras pessoas além de você comentaram que queriam mais dicas, por isso vou escrever um post sobre vendas para freelancers. Tá na lista aqui para ser o próximo, assim que der um tempinho entre os freelas!

      Abraço

      P.S.: sou totalmente a favor de um mundo com mais colaboração!

  2. postado por
    Líferson de Freitas
    jun 19, 2017 Reply

    Muito bom o seu post, Luciane. A compreensão que podemos ter do universo dos freelas com a sua história é muito legal! Obrigado por compartilhar suas experiências com a gente!

    • Luciane Costa
      postado por
      Luciane Costa
      jun 25, 2017 Reply

      Obrigada, Liferson! Seguimos juntos produzindo conteúdo para ajudar esse público 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desenvolvido por: